Brasil possui primeiro MBA online aberto

Plataforma de educação Veduca criou pós-graduação lato sensu em Engenharia e Inovação; qualquer um pode assistir às aulas de graça, mas, quem quiser certificado, tem de pagar

Bárbara Ferreira Santos ,

02 Outubro 2013 | 15h38

Pela primeira vez no Brasil, cursos de pós-graduação lato sensu terão todo o conteúdo disponível na internet e de forma gratuita. O melhor: com professores das melhores universidades do País, como Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Em parceria com docentes dessas instituições, a plataforma de educação Veduca lançou nesta terça-feira, 1, um MBA em Engenharia e Inovação, voltado a quem já tem ensino superior e trabalha com gestão e inovação.

 

As aulas estão todas no site do Veduca e qualquer um pode assisti-las. Mas quem quiser um certificado, que será emito pela UniSEB, terá de pagar R$ 6.642, fazer provas trimestrais em um dos polos de ensino a distância da instituição e apresentar um trabalho de conclusão de curso. As inscrições da primeira etapa estão abertas até o dia 5 de novembro.

 

Esse, no entanto, não será o único curso de pós-graduação lato sensu inteiramente aberto e online. Para o ano que vem, o Veduca deve criar outros três: dois mestrados profissionais em Tecnologia da Informação com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e um MBA em Gestão com a HSM Educação. As aulas, como no primeiro, devem ficar 100% abertas e quem quiser um certificado terá de pagar.

 

Segundo Carlos Souza, CEO do Veduca, os próximos cursos devem ser criados em áreas estratégicas para o País e nas quais ainda há escassez de profissionais. "Fizemos um levantamento de em que áreas o País têm mais carência de talentos e entre elas estavam Engenharia e Inovação, Tecnologia, Petróleo, Energia e Minas, entre outras. Queremos cursos que preparem para essas áreas onde faltam pessoas bem treinadas".

 

O primeiro curso, em Engenharia e Inovação, possui 360 horas de aulas e deve ser concluído em até dois anos. A grade curricular, que é fixa, possui oito disciplinas: Gestão de Projetos; Engenharia Econômica; Projetos de Investimento para Inovação; Tecnologias Portadoras de Inovação; Princípios de Sustentabilidade; Desenvolvimento de Produtos e Serviços; Gestão da Inovação; e Metodologia Científica e de Solução de Problemas.

 

Qualquer pessoa pode assistir às videoaulas, mas, para obter o certificado, além do ensino superior, é preciso ter conhecimentos iniciais em Gestão. "Ele foi criado para quem tem interesse predefinido pelo tema", afirma o coordenador do curso, Ronaldo Mota, ex-secretário nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. "Nós não escolhemos o curso por ser aquele que vai dar o maior número de matrículas, mas qual o mais importante para o País. O Brasil tem um problema claro de desenvolvimento econômico, social e ambiental sustentável. Sem Engenharia e Inovação o Brasil pode até crescer, mas não será sustentável."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.