Brasil disputa na Romênia prestigiada olimpíada de matemática

País, que o 16ª colocado no ranking mundial, é a única nação latino-americana a participar do evento

Agência Brasil,

23 Fevereiro 2010 | 09h22

O Brasil vai participar pela primeira vez da Romenian Masters in Mathematics, que começa nesta quarta-feira, 24, em Bucareste (Romênia), no Leste Europeu. O evento reúne os melhores países do mundo em olimpíadas internacionais de matemática.   Veja também: Prova de SP revela piora no desempenho em matemática    "São os países que têm o melhor desempenho na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, a sigla em inglês), que é a olimpíada mais importante no mundo, reúne mais de 500 alunos talentosos do ensino médio de mais de 100 países", disse a assessora da Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), Nelly Carvajal.   O Brasil ocupa a 16ª colocação no ranking mundial e foi chamado pela primeira vez. "´É o único país latino-americano e ibero-americano a ser convocado em todos os tempos, porque o nosso desempenho é realmente muito bom", afirmou Nelly.   A equipe brasileira é composta de seis alunos do ensino médio do Ceará (um), Rio de Janeiro (dois), São Paulo (dois) e Santa Catarina (um), além de dois professores. "Eles serão submetidos a dois dias de provas, com três problemas de matemática em cada dia e quatro horas e meia para resolver os três problemas". A assessora explicou que são problemas olímpicos, que visam a um maior raciocínio lógico. Não há espaço para "decoreba", acrescentou.   Esta é a terceira edição do Romanian Master in Mathematics, que se estenderá até o dia 1º de março. Além do Brasil, participarão delegações da Alemanha, Bielorussia, Bulgária, Coréia do Sul, China, dos Estados Unidos, da Hungria, Itália, do Irã, Japão, Reino Unido, da Romênia, Rússia, Sérvia, Turquia e Ucrânia.   A participação brasileira é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática, um projeto conjunto da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.