Brasil Alfabetizado ganha apoio das escolas particulares

As escolas particulares também ajudarão a alfabetizar jovens e adultos. Nesta sexta-feira, o ministro da Educação, Cristovam Buarque, e o presidente da Federação Interestadual das Escolas Particulares (Fiep), Claudio Tricate, assinaram um protocolo de intenções. O Fiep representa mais de 80% das escolas particulares no País e se compromete, de forma voluntária, a participar do programa Brasil Alfabetizado. Tricate disse que, independentemente da crise financeira que tem provocado inadimplência superior a 30%, as escolas particulares podem colaborar com o projeto do governo Lula. "Temos estruturas ociosas em todas as unidades da federação que podem muito bem ser utilizadas para aqueles que não podem pagar pelo ensino privado." Segundo ele, o "primeiro filhote" do convênio será a alfabetização de funcionários da construção civil. Dependendo do local, as aulas serão dadas nos próprios canteiros de obras ou em uma escola particular próxima de onde a maioria dos funcionários more. O ministro observou que a campanha pela alfabetização já mobiliza a sociedade a tal ponto que segmentos como o das escolas particulares passaram a procurar o MEC oferecendo ajuda. Cristovam disse ter a sensação de que em breve a sociedade incluirá mais um item aos Dez Mandamentos da Bíblia: ?Ensinarás o teu próximo a ler."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.