DIda Sampaio/Estadão
DIda Sampaio/Estadão

Bolsonaro volta a chamar manifestantes de ‘idiotas úteis’

Presidente também comete gafe ao afirmar aos estudantes que “cortou” a verba da Educação - o governo afirma que trata-se de contingenciamento

Renato Onofre, O Estado de S. Paulo

18 de maio de 2019 | 23h01

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a chamar os manifestantes que foram às ruas na última quarta-feira, 15, de “idiotas úteis” durante conversas com alunos de uma escola da particular na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília. Bolsonaro cometeu uma gafe ao afirmar aos estudantes que “cortou” a verba da Educação. Desde a entrevista ao Estado do ministro a Educação, Abraham Weintraub, o governo tem batido na tecla que há um “contingenciamento” e não corte no setor.

“E este movimento do pessoalzinho aí que eu cortei verba, o que vocês acharam?”, perguntou Bolsonaro respondendo ele mesmo: “É uma minoria que manda na escola. Pessoal fica ai alguns oferecendo ponto, facilidades e o pessoal nem sabe que foram fazer nas ruas”.

O grupo de estudante afirmou ao presidente que eles estudavam “de verdade” e que o apoiavam. Bolsonaro disse que no tempo dele as escolas públicas eram melhores que as particulares e voltou a criticar as universidades. O presidente relativizou a extensão da autonomia universitária no País, garantida pela Constituição. 

“Universidade, por exemplo, os reitores têm autonomia, mas parece que, hoje em dia, eles têm na verdade autonomia total, soberania. Tem que prestar conta do que está acontecendo. A educação não vai bem”, disse.

O presidente voltou a lembrar da expressão “idiotas úteis” que usou em Dallas, nos Estados Unidos, para atacar os manifestantes. “Em Dallas, eu falei, sim, que uma parte são idiotas úteis. É verdade, ué. É mentira? Meu pessoal esteve na rua ouvindo a molecada ‘o que você está fazendo aqui?’. Não sabe de nada. É massa de manobra dos espertalhões de sempre, do pessoal que quer voltar ao poder. Para alguns grupos está difícil a vida, acabou a teta”, disse Bolsonaro.

No final do encontro, Bolsonaro tirou foto com os alunos e entrou no coro dos estudantes que exaltavam o ministro da Economia, Paulo Guedes, com a frase “Fé no Guedes”. Depois de entoar junto com os alunos da frase, ele gravou um vídeo para um aluno falando: “Viu, Guedes? Está com moral”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.