Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

Bolsonaro veta exigência de serviço de psicologia em escolas públicas

Segundo a justificativa do governo, proposta cria despesas ao Poder Executivo sem indicar uma fonte de receita

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2019 | 11h30

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vetou integralmente projeto de lei que tornava obrigatória a prestação de serviços de psicologia e serviço social nas redes públicas de educação básica.

O veto está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 9, e se dá, segundo explica o governo, porque cria despesas ao Poder Executivo sem indicar uma fonte de receita, o que fere a Lei de Responsabilidade  Fiscal.

"A propositura legislativa, ao estabelecer a obrigatoriedade de que as redes públicas de educação básica disponham de serviços de psicologia e de serviço social, por meio de equipes multiprofissionais, cria despesas obrigatórias ao Poder Executivo, sem que se tenha indicado a respectiva fonte de custeio, ausentes ainda os demonstrativos dos respectivos impactos orçamentários e financeiros", diz o texto.

A Presidência da República consultou os Ministérios da Educação e da Saúde para decidir pelo veto à matéria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.