Daniel Martins/ Divulgação
Daniel Martins/ Divulgação

Bolsonaro nomeia Carlos Bulhões, terceiro colocado na lista tríplice, como novo reitor da Ufrgs

Presidente já desconsiderou resultado de 14 eleições acadêmicas no País

Lucas Rivas, especial para o Estadão

16 de setembro de 2020 | 13h37

PORTO ALEGRE - O presidente Jair Bolsonaro nomeou nesta quarta-feira, 16, o professor Carlos André Bulhões Mendes como novo reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) para os próximos quatro anos. A indicação foi publicada no Diário Oficial da União. A nomeação foi assinada por Bolsonaro e pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro. Bulhões ficou em terceiro lugar na lista tríplice para reitoria da Ufrgs enviada para análise presidencial.

Desde o início do governo, 25 reitores de universidades federais já foram escolhidos por Jair Bolsonaro. Destes, 14 foram indicados sem liderar uma lista tríplice, conforme levantamento da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). É prerrogativa do presidente da República definir os nomeados para o cargo de reitor após envio da lista por parte da instituição.

Bolsonarista, o deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) já tinha antecipado a nomeação de Bulhões na semana passada. “O reitor foi escolhido dentro da lei, numa lista tríplice. Quem quiser nomear o reitor que faça 58 milhões de votos”, afirmou pela manhã ao Estadão.

Em 13 de julho, a chapa liderada pelo atual reitor Rui Oppermann venceu a disputa interna ao computar 45 votos. A candidata Karla Müller recebeu 29 votos e Carlos Bulhões apenas três. Em função da pandemia, a consulta à comunidade acadêmica foi realizada em ambiente virtual. O mandato de Oppermann termina no próximo dia 20.

O episódio é raro na Ufrgs. O último reitor nomeado, sem ser o mais votado, foi Gerhard Jacob em 1988. Ele ficou menos de um ano e meio no cargo. Desde então, o Ministério da Educação vinha respeitando o resultado das eleições internas para escolha dos novos reitores.

Após a nomeação no Diário Oficial, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) protocolou na Câmara Federal um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) para sustar a nomeação de Bulhões para reitoria da Ufrgs. “A nomeação de um nome interventor, afeito ideologicamente ao Presidente da República mas distante da democracia universitária descumpre os princípios do Art. 207 da Constituição Federal de 1988”, justificou.

Com mais de 100 cursos de graduação, a Ufrgrs conta com mais de 32 mil alunos graduandos. No começo do mês, a instituição foi apontada como uma das melhores do Brasil pela consultoria britânica Times Higher Education (THE).

Biografia

Alagoano, Carlos Bulhões é professor titular e diretor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Ufrgs. Além do mestrado em Engenharia de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental realizado na Ufrgs, Bulhões é doutor em Planejamento e Engenharia de Recursos Hídricos pela Universidade de Bristol, Inglaterra, e pós-doutor em Planejamento Ambiental pela Universidade da Califórnia, Davis, nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.