Bienal lança livros para recém-alfabetizados

Esta edição da Bienal do Livro, que abriu as portas na quinta-feira, no Rio, apresenta obras vertidas para recém-alfabetizados. Como os adultos não têm o mesmo interesse que as criaças que acabam de aprender a ler, mas têm dificuldades de leitura, são poucas as opções de literatura para esse público. Na Bienal, a Secretaria Extraordinária de Erradicação do Analfabetismo (Seea/MEC) lança edições especiais de três romances brasileiros desenvolvidas por educadores para quem acaba de aprender a ler: O Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães, e Garibaldi e Manuela ? uma História de Amor, de Josué Guimarães.As edições contêm um resumo das obras, um recurso utilizado no aprendizado de língua estrangeira, testado pelo Ministério da Educação. A tiragem é de dois mil exemplares de cada obra e foi inteiramente doada ao MEC pela L&PM Editores, de Porto Alegre, segundo informações do MEC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.