Bienal do Livro tem ampla programação na área de educação

A 19ª Bienal Internacional do Livro, aberta nesta quinta-feira em São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, tem um extensa programação voltada ao tema Educação. Além do lançamento de livros na área, muitos educadores, especialistas e gente envolvida com a questão.A organização espera mais de 800 mil visitantes no evento que vai até o dia 19 de março. A Bienal do Livro conta com 300 estandes distribuídos em 20 mil metros quadrados. Além dos estandes que fazem ponta-de-estoque de grandes editoras e dos descontos feitos diariamente, o último dia traz o tradicional saldão do evento, com descontos de até 70%. Nesta edição, até o ingresso vale ouro. Com ele, é possível conseguir descontos nos estandes e em toda a cidade, em restaurantes, lojas e até em parques de diversão.O evento conta com a presença de autores brasileiros e estrangeiros, além de palestras diárias sobre diversos assuntos. Visitas de escolas e sessões de autógrafos ocorrem a partir das 14h. Separamos uma lista de eventos relacionados à educação que acontecem ao longo dos dez dias de feira. Confira:EDUCAÇÃODia 11, 20h - "A Educação Contra a Invisibilidade Humana". Rubem Alves e Gilberto Dimenstein refletem sobre o ensino no Brasil. Onde: Salão de Idéias.Dia 12, 16h - "A Atualidade de Roland Barthes". O debate reúne o psicanalista Contardo Calligaris e o professor Jean Gallard, filósofo e ensaísta francês, diretor cultural do Museu do Louvre. Onde: Espaço da França.Dia 17, 13h30 - "Os Valores na Educação dos Jovens" . O psiquiatra pop Içami Tiba aborda o tema. Onde: Salão de Idéias.Dia 18, 10h15 - "História, como Fazer e como Ensinar". Mesa redonda na qual participam Elias Thomé Saliba, professor da USP; Tânia de Luca, professora da Unesp-Assis; e Pedro Paulo Funari, doutor em Arqueologia pela USP. Onde: Espaço Universitário.Dia 18, 14h - "Ensinar História Hoje". O encontro reúne Kalina Vanderlei Silva, professora da UFPE e da Universidade de Pernambuco; Leandro Karnal, chefe do departamento de História da Unicamp; e Circe Maria Bittencourt, professora da USP. Onde: Espaço Universitário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.