Divulgação
Divulgação

Biblioteca da UFSCar é interditada após alagamento

Órgão, que tem acervo raro e especializado, perdeu 150 periódicos; segundo professores, infiltrações são frequentes no prédio

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

23 Abril 2015 | 18h39

Com infiltrações e goteiras, a Biblioteca Setorial da Física da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está interditada há dois dias. O local foi alagado na madrugada desta quarta-feira, 22, após uma chuva. As salas de outros quatro professores e um laboratório do Departamento de Física também ficaram danificados com o alagamento. Os funcionários ainda estão fazendo um levantamento das perdas.

De acordo com os professores, os problemas com as infiltrações são frequentes no prédio. Nos últimos três anos, segundo eles, foram registrados quatro alagamentos. Dois deles neste ano. 

A biblioteca, que tem um acervo raro e especializado, perdeu 150 periódicos com os alagamentos. Levantamento inicial indica que, com a chuva desta quarta-feira, ao menos dez periódicos tenham sido danificados, além de uma máquina de xerox, avaliada em R$ 12 mil. Terezinha Gagliardi, responsável pela biblioteca há 22 anos, estima que o prejuízo com os alagamentos seja de R$ 300 mil. "Já perdemos equipamentos eletrônicos, além dos livros que são raros e não puderam ser repostos", disse. A biblioteca só deve ser reaberta na segunda-feira, 27. "Isso, se não chover. Porque corremos o risco de novos alagamentos", afirmou Terezinha.

O professor Alex Eduardo de Bernardini foi um dos que ficaram sem sala por causa do alagamento. "Só não perdi meus equipamentos e livros porque eles estavam cobertos com lonas. Mas a sala está inutilizável, choveu em todos os cantos", disse. De acordo com  Bernardini, nos últimos três anos foram enviados oito ofícios à Reitoria da universidade pedindo a reforma do telhado do departamento. No entanto, segundo ele, nunca houve resposta. "Somos tratados com desprezo total. Não nos dão estrutura para trabalhar."

Em nota, a universidade informou que determinou a elaboração de um projeto para a cobertura do prédio, drenagem externa e instalação elétrica do departamento. No entanto, não informou quando as reformas devem ser iniciadas nem se os equipamentos e periódicos perdidos serão repostos.

Mais conteúdo sobre:
UFSCar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.