Beatles são tema de matéria de escola secundária

Há três anos, o coordenador pedagógico Flávio Cidade, do Colégio Ítaca, no Butantã, zona oeste de São Paulo (adepto da linha pedagógica humanista), incorporou o livro O Jovem Lennon, de Jordi Sierra i Fabra (Nova Alexandria, 176 págs., R$ 23) na disciplina de literatura na 6.ª série e estendeu os estudos sobre Lennon e Beatles para o curso de inglês."Queria mostrar que a literatura não se limita à leitura de um livro: ela abre discussões para outros campos. No caso de O Jovem Lennon, é possível escapar para a música, as mudanças de costumes, o início do rock n´ roll nos EUA, o reconhecimento dos jovens como camada consumidora", explica Cidade, ele próprio, professor de literatura de 5.ª a 7.ª série.Comportamento"Com a canção Revolution, discutimos a revolução comportamental dos anos 60." Nessas discussões, os alunos, muitas vezes, parecem deparar com uma realidade do outro mundo. "Digo a eles que na década de 60, as crianças não decidiam seu corte de cabelo ou o que iriam vestir. E isso para eles é um absurdo: como alguém de 12 anos não tinha essa autonomia?" Beatlemaníaco, Cidade afirma, com toda segurança, que o livro sobre Lennon é o que mais faz sucesso, o mais lido nos últimos tempos no colégio. Paralelamente à leitura, há a exibição de vídeos, interpretação das músicas, além de consulta ao acervo pessoal do professor, de LPs, CDs e livros.InglêsNa aula de inglês, a atividade continua com leitura das letras, estrutura gramatical, vocabulário e pronúncia. "Fazemos relação das músicas dos Beatles com outras canções que os alunos já ouviram", detalha Sônia Mange, uma das professoras de inglês da turma.Os estudos são aplicados nas aulas dedicadas especialmente para se cantar. "Com Yesterday, trabalhamos, por exemplo, o tempo verbal past continuous; cantar ajuda a fixar expressões e destravar a língua."Conhecendo maisNessas aulas de canto, o aluno Roberto, de 12 anos, é um dos mais animados. Ele, que, antes de entrar na 6.ª série, conhecia uma ou outra música dos Beatles, passou não só a ouvir mais as canções, como também a ter consciência das histórias por detrás de cada uma delas. "Estou me interessando mais."Seu colega Gustavo, de 11, também. "Eu só conhecia Help e sabia que eles vieram de Liverpool, mas meu pai já gostava dos Beatles, tem alguns CDs", diz o garoto.Romantismo e rádioJá as amigas Carolina e Beatriz, ambas de 12, que não sabiam quase nada de Beatles, se apaixonaram, à primeira ´ouvida´, pela doce In My Life. Não há uma aula que elas não peçam aos professores para colocar a música. "Gostamos da melodia, é uma letra bem romântica", descreve Beatriz.Esta semana, Roberto, Gustavo, Carolina, Beatriz e Gabriela, assim como o restante da turma, estão envolvidos com a organização de um programa de rádio da escola. O roteiro musical, claro, é só Beatles, com direito até a curiosidades e histórias sobre a banda nos intervalos das canções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.