Baseado em ensino adaptativo, exame terá diagnóstico de alunos

Boletim personalizado vai mostrar a candidato quais temas deve revisar na reta final de estudos para o Enem

Luís Lima, especial para o Estadão.edu,

08 Outubro 2012 | 09h47

O ensino adaptativo, modelo que permite a cada aluno aprender no seu ritmo, inspir o u o Simulado Geekie+Estadão. Com ajuda do relatório de desempenho personalizado, que será entregue por e-mail, o candidato saberá em quais conteúdos deverá se concentrar no tempo que resta até o Enem. E buscar a melhor maneira de revisá-los. “O relatório é uma ferramenta que se baseia na customização da aprendizagem”, afirma Eduardo Bontempo, cofundador da Geekie.

O estudante Lucas Pezolito, de 17 anos, diz que aprende melhor por meio de recursos multimídia, como videoaulas e exercícios online. Ele pretende pesquisar na internet conteúdos em que tiver desempenho ruim no simulado.“Também vou perguntar a meus professores nas aulas de revisão”, diz Lucas, que mora em Arujá, Grande São Paulo, e planeja usar o Enem para conseguir vaga em Engenharia de Petróleo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O paulistano André Alves, de 17, também quer estudar na UFRJ, no curso de Engenharia Ambiental. Sua matéria favorita é física,e seu ponto fraco é biologia. “O simulado, que considera a diversidade de habilidades entre os alunos, fará um diagnóstico alinhado com as necessidades de cada um”, afirma.

Além do simulado, a Geekie desenvolveu este ano uma plataforma digital de ensino adaptativo que já está sendo utilizada por alunos do ensino médio de duas escolas técnicas da capital, a Takashi Morita e a Capelado Socorro. Ela tem videoaulas e exercícios que acompanham o desenvolvimento de cada estudante conforme suas respostas a questões. Após o diagnóstico, são sugeridos temas para estudo.

Para a coordenadora pedagógica da Geekie Kátia Ura, é um desafio para o professor identificar as necessidades individuais de seus alunos. “Com a plataforma, o educador poderá acompanhar o ritmo de cada estudante.” A coordenadora da Etec Capela do Socorro, Solange Casella, acredita que as novas tecnologias de informação e comunicação ajudam a personalizar o ensino. “Devemos estar abertos para experimentar ferramentas que oferecem um parâmetro de aprendizagem mais eficiente.”

Para o diretor da Etec Takashi Morita, Wilson Shibata, a plataforma da Geekie é uma aliada dos professores. “Ao acessar o diagnóstico de desempenho dos alunos, eles podem pensar metodologias e linguagens adequadas a cada perfil de estudante.” / L.L

Saiba mais sobre o 'pré-Enem'

Quando

As provas podem ser feitas até as 23h59 de quinta-feira, dia 11, pelo site www.geekie-estadao.com.br. Primeiro o candidato deverá resolver as 90 questões de Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Só então terá acesso ao segundo exame, composto por 90 testes de Linguagens e Códigos e Matemática;

Quem pode fazer

Os 120.372 candidatos que se inscreveram até sexta-feira;

Correção pela TRI

As questões foram criadas com exclusividade por professores especializados na preparação para o Enem. Assim como o exame oficial, o simulado tem questões fáceis, médias e difíceis testadas previamente, seguindo os parâmetros da Teoria da Resposta ao Item;

Boletim personalizado

Cada participante receberá a partir do dia 16 um relatório que destaca os pontos fortes e fracos nas quatro áreas do conhecimento da prova. O boletim indicará os temas que devem ser revisados;

Ranking

O aluno poderá comparar seu desempenho com o de outros participantes do simulado;

Gabarito

A resolução dos itens também será publicada no dia 16.

Mais conteúdo sobre:
Enem simulado Geekie

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.