Avaliação mostra queda de rendimento de alunos

Alunos que cursavam a 4ª série do ensino fundamental em 2001 tinham mais dificuldade em interpretar textos narrativos simples e resolver operações de adição e subtração com até três algarismos do que as crianças matriculadas na mesma série em 1999. Este é um dos resultados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2001, divulgado nesta quinta-feira pelo ministro da Educação, Paulo Renato Souza.No exame de matemática, a média caiu 5 pontos, e no de língua portuguesa, 6. Apesar de o resultado ter ficado abaixo do ideal, o ministro comemorou a tendência de estabilidade nas médias dos estudantes da 8ª série do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, em relação aos voluntários que fizeram exames de português e matemática em 1999.O Saeb é realizado a cada dois anos. O desempenho é classificado em oito níveis, de acordo com o número de pontos, que varia de 125 a 400. O relatório mostra que os alunos da 3ª série do ensino médio alcançaram em português e matemática o nível 5, quando o desejado seria 7.Na prática, essa diferença significa, por exemplo, que a maioria dos estudantes não consegue estabelecer a relação entre a tese e os argumentos utilizados para sustentá-la ao ler um texto mais complexo.Na área de matemática, a maioria não sabe aplicar o Teorema de Pitágoras ou usar progressões aritméticas e geométricas para resolver problemas.Os alunos da 4ª série do ensino fundamental se confundiram com problemas de localização a partir de um ponto de referência.Para a secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães, não se justifica que os alunos errem noções que deveriam ter sido assimiladas na pré-escola. O ministro Paulo Renato atribuiu o resultado na 4ª série à incorporação de novos alunos e à participação de escolas rurais na avaliação, principalmente no Nordeste e no Centro-Oeste.Segundo o relatório, os alunos rurais têm desempenho inferior ao das urbanas, pela dificuldade de acesso a uma maior variedade de bens culturais. A distorção entre os resultados do exame de língua portuguesa das escolas da capital e do interior praticamente não existe no Sudeste.O mesmo se observa em relação às provas de matemática realizadas no Sul e no Sudeste. Nessas regiões, o nível socioeconômico do interior se aproxima do das capitais.Quanto maior a distorção idade-série, causada principalmente pela repetência, pior o desempenho do aluno nos exames. O Saeb 2001 detectou que a média das provas de matemática dos alunos de 3ª série do ensino médio com idade acima de 21 anos era 56 pontos inferior à dos estudantes com idade correta.Segundo estimativas do governo, 39% dos alunos matriculados no ensino fundamental estão fora da idade correta para a série que cursam. Mas essa diferença era bem maior no início da década de 90. A repetência e o abandono escolar implicam uma distorção da idade-série que os governos vêm tentando combater com a adoção do sistema de ciclo, em substituição ao seriado."A repetência tem mais impacto na queda do rendimento escolar do que os fatores socioeconômicos", garante o ministro da Educação.Uma amostra de 288 mil alunos de 7 mil escolas públicas e particulares participaram do Saeb. Os matriculados nas particulares têm melhor desempenho.Os resultados do Saeb e o relatório pedagógico com os maiores acertos e os erros mais comuns serão distribuídos a professores e escolas que participaram da avaliação. Exemplares também seguirão para as Secretarias Municipais e Estaduais de Educação e universidades.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2002 | 21h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.