Avaliação de curso superior deve misturar Sinaes e Provão

O sistema de avaliação do ensino superior que será posto em prática pelo Ministério da Educação deverá ter características do Provão associadas a sugestões feitas pela Comissão Especial de Avaliação Superior. A nova proposta será apresentada pelo ministro da Educação, Cristovam Buarque, nos próximos dias.A avaliação do aluno por provas e a divulgação de um ranking das escolas deverão ser mantidos, mas com algumas alterações. ?Não será o fim do Provão, mas sua evolução?, disse Buarque depois de um debate organizado pelo ministério para discutir o sistema de avaliações.Com rankingO ministro considera fundamental a divulgação de um ranking. Mas os conceitos serão um pouco mais complexos do que o sistema atual. ?Ficou claro que as duas propostas não são antagônicas. Há pontos convergentes e sugestões que, se adotadas, podem melhorar a avaliação?, disse Buarque.Participaram do encontro na quarta-feira Eunice Durhan, ex-secretária do Ensino Superior do MEC, defensora do Provão, e José Dias Sobrinho, presidente da Comissão Especial de Avaliação do Ensino Superior. Sobrinho apresentou há duas semanas a proposta da adoção do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).?Eunice admitiu que o sistema pode ser melhorado, com a adoção de outras formas de avaliação?, afirmou o ministro. Sobrinho, por sua vez, reconheceu que o teste para avaliar o desempenho do aluno pode ser feito.DivergênciasO debate, porém, também mostrou as grandes divergências entre os dois sistemas. Eunice fez um apelo para que o sistema não acabasse e criticou a proposta do Sinaes. Para ela, o novo sistema dificultaria o acesso a informações sobre as faculdades. ?Ela não leu nosso documento?, rebateu Sobrinho. ?O Provão é um sistema enviesado, que provoca deturpações incríveis na avaliação.?Integrantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) fizeram um ato em frente ao MEC marcando o fim do Provão e atearam fogo a um caixão para simbolizar a ?morte? do sistema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.