Aumentam para 48 os projetos de expansão universitária

O Ministério da Educação decidiu ampliar, de 41 para 48, os projetos de interiorização e expansão de universidades públicas no País, até 2007, para atender às demandas regionais. A Secretaria de Educação Superior (SESu/MEC) aguarda apenas os projetos acadêmicos e arquitetônicos de cinco universidades para assinar convênios e repassar recursos aos sete novos projetos.A ampliação da meta do programa Expandir foi possível com a liberação de recursos para investimentos e a contratação de novos professores e de pessoal técnico-administrativo. Com essa ampliação, completa-se, segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento da Educação Superior do MEC, Manuel Palácios, a expansão do ensino superior em pelo menos três Estados: Amazonas, Paraíba e Minas Gerais. Cada campus receberá R$ 8 milhões, metade ainda este ano e o restante em 2007. O Expandir vai levar o ensino superior a áreas de difícil acesso no interior. No Amazonas, por exemplo, a apenas um campus, o de Itacoatiara, chega-se por terra. Nos demais, o caminho é feito por barcos ou aviões, como em direção ao de Benjamin Constant, quase na divisa do Brasil com o Peru e a Colômbia, a 1.200 quilômetros de Manaus, em linha reta.A universidade chega também a pólos importantes do Nordeste, como Sobral (CE), numa região de 60 pequenos municípios.Nestes locais, os novos campus e universidades estão sendo construídos com a participação da comunidade e a parceria das prefeituras - cedem áreas para as obras e opinam sobre quais cursos querem e de que forma serão ofertados. O MEC paga os serviços licitados, a contratação de trabalhadores da construção civil e professores e pessoal técnico-administrativo, além da aquisição de equipamentos e laboratórios.Só para atender à demanda das novas instituições, foram criados 3.840 cargos, dos quais 2.365 para professores e 1.475 para técnicos, além de 120 de direção e 420 funções gratificadas. Na primeira etapa do programa, até 2007, serão oferecidas 30 mil vagas.Até 2010, a expansão deve gerar 125 mil matrículas nas instituições federais, um crescimento de 21,75% sobre 574.584 matrículas (censo de 2004) da rede federal de ensino superior. Com a expansão e interiorização do ensino superior, iniciada em 2004, 17.410 novos alunos já ingressaram nas universidades federais e, até o final de 2007, R$ 712 milhões serão investidos no programa. Os primeiros convênios foram assinados em 2005 e o primeiro campus construído pelo programa Expandir foi o de Garanhuns, em Pernambuco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.