Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Audiência entre USP e funcionários em greve termina sem acordo

Sindicato não aceitou proposta da instituição e reunião durou menos de meia hora

O Estado de S. Paulo

12 Julho 2016 | 17h53

Terminou sem acordo, nesta terça-feira, 12, a audiência de conciliação entre a Universidade de São Paulo (USP) e funcionários da instituição em greve, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp). O objetivo da reunião, no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), era definir o retorno dos profissionais e a compensação dos dias parados. 

A USP propôs que os funcionários voltassem ao trabalho imediatamente e desistissem da ação de dissídio coletivo de greve. Em contrapartida, pagaria metade dos dias parados. A sugestão não foi aceita pelo sindicato e a reunião durou menos de meia hora.

Com a falta de acordo, a USP terá dez dias para apresentar defesa e documentos e, sem seguida, o sindicato, terá cinco dias. Após esse prazo, o caso será julgado pela Seção de Dissídios Coletivos do TRT-2. 

Em greve há 62 dias, os trabalhadores tiveram descontados dos salários os dias parados nos pagamentos dos meses de junho e julho. O sindicato exige, além do retorno do pagamento, a discussão de outros temas, como reajuste salarial de 12,34% e contratação imediata de funcionários. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.