GABRIELA BILO/ ESTADAO
GABRIELA BILO/ ESTADAO

Atrás de Alckmin, professores invadem evento de Haddad

Grupo entrou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco e suspendeu uma solenidade, achando que encontraria o governador 

O Estado de S. Paulo

15 Maio 2015 | 22h13


SÃO PAULO - Em assembleia nesta sexta-feira, 15, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), 3 mil professores da rede estadual de São Paulo mantiveram a paralisação, que já dura 61 dias. Na sequência, houve marcha pelo centro. 

Na dispersão, um grupo invadiu a Faculdade de Direito do Largo de São Francisco e suspendeu uma solenidade, achando que encontraria o governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas quem estava ali era o prefeito Fernando Haddad (PT). 

Ao notar o engano, os professores deixaram o local. O mesmo fez o prefeito, e o evento teve de ser cancelado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.