TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Protesto contra reorganização da rede fecha vias do centro

Cerca de 50 manifestantes participaram do ato, que terminou com um detido

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

15 Dezembro 2015 | 20h03

Atualizada às 21h52

SÃO PAULO - Cerca de 50 estudantes fizeram, na noite desta terça-feira, 15, um novo ato contra a reorganização da rede estadual. O protesto teve início por volta das 19h50 na Avenida Paulista. Os manifestantes chegaram às 21 horas na Secretaria Estadual da Educação, que estava cercada por policiais militares. Houve tumulto em uma das entradas do Metrô e um dos manifestantes foi detido. 

O grupo chegou a fechar totalmente a Avenida Paulista no sentido Consolação. Depois, desceu a Rua Augusta no sentido centro. Por volta das 21 horas, os manifestantes chegaram à Praça da República, onde policiais da Força Tática faziam uma barreira em frente ao prédio da Secretaria Estadual de Educação. 

Um dos policiais militares ordenou que um manifestante retirasse a máscara, mas ele se recusou. A tropa, então, partiu para cima dos manifestantes, que correram. Pedro Vasconcelos, de 19 anos, foi detido por incitação à violência e levado ao 2º DP (Bom Retiro). Por volta das 21h15, houve tumulto em uma das entradas da Estação República do Metrô. Uma das passageiras disse ter visto uma pessoa ferida na cabeça entrando na estação. 

O protesto foi convocado pelo Facebook pelos grupos 'Chega de Geraldo Alckmin', 'Mudança Já', 'Ocupe sua Escola' e 'Queremos Revolução Já'. O protesto teve início após longa discussão no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). O grupo que organizou o ato pelo Facebook não apareceu. 

A medida de reorganização da rede foi suspensa pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) neste mês após uma série de protestos nas ruas e a ocupação de 196 escolas no Estado de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.