Atividades estimulam uso de conhecimentos desenvolvidos na escola

Os 600 estudantes que dividem com Diego o centro poliesportivo da USP quando não estão em aulas integram grupos por faixa etária e participam de atividades esportivas organizadas, estrategicamente, de forma e estimular o uso de conhecimentos desenvolvidos na escola. Neste ano, 510 universitários de diversas áreas (pedagogia, matemática, letras, entre outras) atuam com as crianças e adolescentes em 15 municípios de 12 Estados. ?Eles foram selecionados e formados para atuar alinhados com a proposta, sempre levando em conta a participação da família e da escola?, explica a superintendente do instituto.No projeto de São Paulo, são atendidos estudantes de baixa renda selecionados nos bairros vizinhos da USP. ?Damos preferência àqueles que não tem acesso a qualquer tipo de atividade como essa?, conta José Aníbal Marques, coordenador de Psicologia do Esporte Talento. ?Algumas escolas mandam só os alunos mais comportados; outras mandam os alunos-problema. Isso dá uma boa mistura?, observa André Luiz dos Santos, monitor do grupo Petelecão.André, aliás, é ex-aluno do programa e um exemplo para as crianças e adolescentes que estão hoje aos seus cuidados. Ele entrou nas primeiras turmas, em 1996, virou um bom jogador de handebol, terminou o ensino médio sem atraso e agora, aos 22 anos, cursa Educação Física, além de ser ?professor? da galera do Petelecão. Não era mau aluno, mas tinha grandes dificuldades para conviver com os outros. ?Eu não aceitava críticas, tinha um convívio muito agitado?, lembra ele, enquanto chama atenção de um ?bagunceiro? que se excedeu um pouco.André é um dos 30 mil estudantes já atendidos em vários Estados pelo Programa Educação pelo Esporte desde sua criação, em 96. Patrocinado pelo instituto e pela empresa Audi ? com parceria da Unesco ? , o programa custou até hoje R$ 6 milhões. Segundo Margareth, a avaliação do desempenho e os resultados positivos pautam as futuras ações do programa e permitem pensar numa ampliação segura.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2003 | 00h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.