Atendimento em creches cresce 7% em um ano

O nível de ensino que mais cresceu no País no último ano foi o de creches. O número de crianças de até 3 anos que estão sendo atendidas em unidades municipais e estaduais é de 766.914. O aumento sobre 2002 é de 7,02%.Em São Paulo, a diferença cresce: o Estado registra 19% mais alunos em creches em 2003. Os dados fazem parte do Censo Escolar 2003, publicado sexta-feira no Diário Oficial da União pelo Ministério da Educação (MEC).Especialistas acreditam que a valorização do ensino infantil, principalmente com criação de vagas e transferência da administração das creches para a pasta da Educação, é um dos motivos do aumento no número de alunos. "O remanejamento pode ter feito com que os dados tenham sido mais bem computados", completa o vice-diretor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Nélio Bizzo.Reforço da UniãoO governo federal também acaba de adotar a distribuição de merenda escolar nas creches, nunca até então bancada pela União, e tem pronto o projeto do Fundo de Valorização do Ensino Básico (Fundeb), que substituiria o Fundef - restrito ao ensino fundamental. O novo fundo garante verbas para toda a educação básica, desde as creches.A educação de crianças de até 3 anos é responsabilidade dos municípios. Em São Paulo, existem hoje 187.329 alunos em creches, 99,6% em estabelecimentos municipais. O aumento do atendimento no Estado reflete também a abertura de 35 novas unidades na capital, que atende cerca de metade das crianças paulistas de até 3 anos.Ensino médioComo ocorreu no ano passado, o ensino médio público também registra aumento no número de matrículas no País. O crescimento foi de 5,64%, enquanto em 2002 o aumento foi de 4%.A universalização do ensino fundamental, que se consolida ao longo dos últimos anos, justifica essa tendência. A lógica é simples: quanto mais alunos ingressam e terminam o fundamental, mais iniciam o ensino médio. Em São Paulo, o crescimento foi menor: 1,79%.Ensino fundamentalJá o número de alunos no ensino fundamental, tem caído em todo o País. Havia, em 2002, 31.889.163 estudantes nas oito séries do fundamental. Segundo o censo, são agora 31.419.339. Para Bizzo, a queda nas matrículas reflete a diminuição das taxas de natalidade."Minas Gerais, por exemplo, vai ampliar o ensino fundamental para nove anos, incluindo educação infantil, sem precisar aumentar o número de vagas."

Agencia Estado,

31 de agosto de 2003 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.