As dificuldades do ensino particular e o ´olho gordo´ no FGTS

Os jornais O Estado de S.Paulo e Jornal da Tarde condenaram, em editoriais, os dois projetos de lei em tramitação no Congresso que propõem novas regras para o uso do FGTS, permitindo que alunos de universidades particulares saquem recursos do fundo para o pagamento das mensalidades atrasadas.Um dos projetos, apresentado há duas semanas, propõe a liberação de 30% do saldo do fundo para que o trabalhador pague suas mensalidades ou de seus filhos de até 24 anos. O banco faria uma transferência direta para uma conta da universidade.O JT afirma que a proposta colocaria as instituições particulares de ensino, que são empresas de educação, num tipo privilegiado de "capitalismo sem riscos". O Estado observa que as instituições particulares nem sempre cobram mensalidades compatíveis com o poder aquisitivo da clientela que pretende atender.Clique para ler o editorial doClique para ler o editorial de

Agencia Estado,

30 de julho de 2003 | 09h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.