Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Aprimorar gestão é importante em todas as etapas da carreira

De novos chefes a altos executivos, qualquer profissional pode melhorar sua forma de gerir equipes; veja opções de cursos

Ana Carolina Neira, Especial para o Estado

23 Fevereiro 2016 | 03h00

SÃO PAULO - Aprender a gerir melhor empresas não é uma tarefa apenas para quem acaba de chegar à chefia. Executivos em altos postos também podem se beneficiar da troca de experiência com colegas e professores. Em qualquer etapa da carreira, cursos com foco em Gestão são indicados para se atualizar e aprimorar práticas da rotina profissional.

Enquanto os cursos de MBA em Gestão e Liderança atraem, em sua maioria, profissionais que almejam ascensão na carreira, o curso CEO FGV, da Fundação Getulio Vargas, tem alvo certo: altos dirigentes. Presidentes, vice-presidentes, diretores-gerais, conselheiros de empresas e pessoas com potencial de assumir esses cargos reúnem-se para trocar experiências e aprender como gerir melhor as empresas.

Dividido em três módulos, cada um com cinco dias de duração e envolvendo Estratégia, Inovação, Economia, Política e Liderança, o curso funciona em sistema de imersão no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Também é possível complementar a formação na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, ou no Instituto Internacional de Desenvolvimento de Gestão (IMD, sigla em inglês), na Suíça.

Apesar da experiência adquirida no decorrer da carreira, o presidente da CIS Corporate, Fabian Figueroa, de 52 anos, sentia falta de aprimoramento e atualização. Com passagens por empresas como Microsoft e HP, ele escolheu o curso de CEO pela oportunidade de conhecer outros profissionais da área no ambiente ideal. “Para mim, isso é algo de muito valor. Só fiz o primeiro módulo e, além das aulas de altíssimo nível, nada melhor do que conviver com pessoas que exercem os mesmos papéis que eu dentro de outras empresas.”

Apesar da formação em Engenharia, a trajetória profissional de Figueroa sempre esteve ligada aos processos administrativos, com cargos de consultor e executivo. “Estou há quatro anos na atual companhia. Entrei para fazer aquisições e fusões. Depois de tantos anos trabalhando, eu comecei a sentir falta de aprender mais.”

Desafios na prática. O superintendente Gustavo Gastardelli, de 40 anos, viveu uma situação parecida. Formado em Administração, ao escolher o curso da FGV, ele buscava uma experiência mais prática do que a que teve em seu curso de graduação. “É diferente ter aula com professores que são executivos, porque eles sabem das dificuldades do nosso dia a dia: manter uma empresa, possuir estratégias de venda e tirá-las do papel, a dificuldade de bater metas.”

O curso apenas reforçou uma ideia que Gastardelli já tinha na cabeça. “Não existe gerir atrás da mesa”, diz. “Foi uma experiência que me ajudou muito. Hoje tenho uma equipe melhor e também acredito que estou trabalhando melhor. Mas tem de colocar a mão na massa para fazer dar certo, valorizar cliente e funcionário, ajudando todo mundo a crescer.”

O coordenador do CEO FGV, Marcos Villela, conta que o curso surgiu inspirado em modelos semelhantes vistos fora do Brasil. “Nossa intenção era fazer um programa único no País, voltado para um público específico: pessoas que desempenham tarefas que apenas elas mesmas podem desenvolver.”

Na hora de pensar na grade curricular, ele diz que a equipe apostou no dinamismo dentro da sala de aula. “A ideia é sair do ambiente da empresa e conversar sobre o mundo. Queremos despertar a turma, pensar em grandes temas de liderança, provocar discussões e troca de experiências entre os alunos. Criamos o ambiente perfeito para essa pausa necessária.”

Para quem almeja uma vaga nesse curso tão exclusivo, Villela dá um recado. “Durante a entrevista a gente discute quais os objetivos dos candidatos e olhamos muito para o nível de bagagem que eles já possuem. Ajustamos as expectativas dos participantes. Não é um curso sobre liderança, para quem já ‘chegou lá’ e apenas precisa liderar, mas para quem deseja repensar práticas e discutir com pessoas interessantes.”

Visão abrangente. Assumir um cargo de chefia em uma empresa pode provocar um misto de sentimentos: desde a gratidão por ter seu trabalho reconhecido até a insegurança em liderar uma equipe, passando pela falsa impressão de que, para ser chefe, basta dar ordens. Para não cair em armadilhas como essas, muitos gestores apostam em MBAs nas áreas de Gestão e Liderança. Uma gerência melhor significa mais resultados e funcionários satisfeitos. 

A paulistana Élkelin de Barros Soares, de 38 anos, viu no MBA em Gestão Estratégica de Negócios do Complexo Educacional FMU uma oportunidade de conhecer a fundo a área de Gestão e preparar-se melhor para o mercado em que atua. “Sou graduada em Negócios Imobiliários e percebi que esse curso complementaria minha graduação, trazendo mais conhecimento na parte de Gestão e Administração, que era o que eu buscava.”

Para ela, uma das lições mais importantes foi compreender que é necessário conhecer todas as áreas que compõe a empresa para estar à frente de uma equipe. “A especialização me fez entender que a comunicação entre os setores é essencial, pois os departamentos precisam interagir para funcionar.” 

Outro ponto relevante do curso destacado por Élkelin foi a possibilidade de conhecer como a gestão é aplicada no exterior. “Ficar por dentro dos processos e políticas de outros países é muito útil quando se está em uma multinacional. A empresa em que trabalho tem filiais no mundo todo e fazemos diversos paralelos com cases de sucesso. Não houve disciplina que não tenha sido útil em meu cotidiano de trabalho.” 

Problemas e soluções. A simulação da realidade do mercado é uma marca entre os cursos de Gestão e Liderança. A aluna conta que se sentiu no ambiente empresarial em muitas aulas. “Tive de apresentar soluções, fazer questionamentos coerentes, enfim, tudo o que eu faço agora com a minha atual colocação.” 

O coordenador do MBA em Gestão Estratégica de Negócios da FMU, Milton Carlucci, afirma que a intenção do curso é oferecer uma visão global, integrada e realista das atividades empresariais. “O foco está na promoção da reflexão e do diagnóstico das conjunturas e contingências do mercado. O programa leva em conta as peculiaridades objetivas e inerentes à gestão de negócios.”

O MBA em Liderança e Coaching da Faculdade Pitágoras de Londrina, no Paraná, também busca mostrar a realidade do profissional de Gestão. Vilma Munhê, coordenadora do curso, conta que os professores exploram com os alunos habilidades como o autoconhecimento e compreensão do comportamento humano nas turmas. “Queremos dar condições para que as pessoas que ocupam ou vão ocupar posições de liderança entendam que liderar é 70% de competências comportamentais e 30% de técnica, ou seja, o ‘vestir a camisa’ que tantas empresas desejam é um processo de construção entre liderança e liderados.” 

De acordo com a coordenadora, os próprios alunos mudam de percepção ao longo do curso. “Creio que eles entram esperando aprender técnicas para liderar e, com o tempo, são capazes de ampliar a percepção de si mesmos e do outro, tornando-se líderes melhores.”

Serviço

Fundação Getulio Vargas

Curso: CEO FGV

Duração: Três módulos, cada um com cinco dias de duração em regime de

imersão. O intervalo entre cada módulo dura, em média, quatro meses 

Vagas: 45 

Inscrição: Até 20/3

Seleção: Entrevista com os coordenadores do curso 

Custo: Sob consulta 

Início das aulas: 9/5 

Site: ibe.edu.br/altos-executivos/ceo-fgv-internacional

Complexo Educacional FMU

Curso: MBA em Gestão

Estratégica de Negócios

Duração: Dois semestres 

Vagas: Não divulgado 

Inscrição: Até 4/3

Seleção: Análise de currículo

Custo: 15 parcelas de R$ 655

Início das aulas: 7/3 

Site: portal.fmu.br/pos-graduacao

Faculdade Pitágoras

Curso: MBA em Liderança e Coaching

Duração: 18 meses 

Vagas: 20 

Inscrição: Encerrada

Seleção: Não divulgado 

Custo: 18 parcelas de R$ 380,56 

Site: voceespecialista.com.br/presencial

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.