Após se confundirem, candidatos são barrados nas salas de provas da Unicamp

Organizadores fecharam acessos a salas às 13h45 mesmo para quem já tinha entrado no colégio

Tatiana Fávaro, O Estado de S. Paulo

15 Novembro 2009 | 16h14

Os estudantes Guilherme Burgon e Guilherme Garrido, ambos de 17 anos, vão ter de esperar mais um ano se quiserem tentar vaga na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).  Por uma confusão, chegaram três minutos após o fechamento do Ciclo Básico, onde está sendo realizada parte das provas do vestibular 2010 da Unicamp neste domingo, 15.   "Não é possível! Chegamos aqui (no campus) antes da uma (13h) e estávamos esperando dar 13h45 para subir", afirmou Burgon, que prestou vestibular como treineiro em 2008. Este ano ele tentaria uma vaga no curso de economia. Mesmo tendo feito a prova no ano passado, o estudante alegou que ele e o amigo acharam que ao informar que os portões seriam fechados às 13h45, a Universidade referiu-se aos portões do campus e não aos acessos às salas.     Às 13h36, integrantes da Comissão Permanente Para o Vestibular (Comvest) cercaram o pátio do Ciclo Básico da Unicamp com fita zebrada para impedir a passagem dos candidatos atrasados. Até as 13h45, ao menos seis estudantes passaram correndo pelo isolamento e conseguiram chegar a tempo de fazer as provas.     A estudante Daniana Motta, de 17 anos, chegou em cima da hora, mas disse estar tranquila para o exame com 12 questões dissertativas e uma redação. "Eu moro bem perto daqui (do campus), por isso cheguei agora", disse. Daniana presta vestibular para o curso de enfermagem.     Até as 18h, a Unicamp realiza provas em 24 cidades brasileiras.  Este ano, 55.475 alunos concorrem a 3.444 vagas dos 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

Mais conteúdo sobre:
Unicamp, vestibular, educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.