Após polêmica, BA muda comando da Secretaria da Educação

Revista 'Viva!', distribuída para professores da rede estadual, foi carimbada para esconder erro em ilustração

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2009 | 15h02

A polêmica gerada por um erro de edição da revista educativa Viva!, fez o governo da Bahia trocar o comando da Secretaria de Educação. A publicação estava com uma tirinha do personagem Chico Bento, de Maurício de Sousa, adulterada (veja abaixo). De acordo com a assessoria da administração estadual, o governador negou que o afastamento tenha relação com o episódio, mas com uma mudança pretendida na gestão da educação.

 

No primeiro número da revista, lançada em fevereiro deste ano, um quadrinho usado como ilustração saiu com o balão de fala com erro. Para não perder os exemplares impressos, carimbaram o desenho e distribuíram as revistas normalmente. Segundo nota da secretaria, apesar do erro, "continuou-se a distribuição (da revista) especialmente pela qualidade de seu conteúdo pedagógico". A equipe editorial da revista também foi substituído, segundo o governo estadual. 

 

O governador da Bahia, Jaques Wagner, justificou a mudança pela necessidade de fazer um ajuste administrativo na secretaria. No lugar de Adeum Sauer entra o também professor Osvaldo Barreto Filho, assessor da reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e ex-diretor da Fundação de Amparo a Pesquisa e Extensão (Fapex). A transmissão de cargo ainda não tem data marcada.

 

Sauer assumiu a secretaria no início do mandato de Wagner, em 2007, e enfrentou vários problemas administrativos e greves de professores. Ficou nacionalmente conhecido na semana passada, quando os veículos de comunicação noticiaram a tirinha adulterada, na qual o personagem Chico Bento falava um palavrão.

 

Os 60 mil exemplares da revista foi distribuída aos professores em março e, logo que a falha foi detectada, 50 mil exemplares foram recolhidos e receberam um carimbo para evitar a reimpressão. Na semana passada, quando o erro tornou-se público, o ex-secretário disse que os professores eram "inteligentes o suficiente" para saber que houve um erro e que, por as revistas não terem os estudantes como público-alvo, o episódio não tinha "consequência nenhuma".

 

O governo atribuiu o erro a uma funcionária terceirizada, responsável pela diagramação da revista. O próprio governador teria ligado para pedir desculpas a Maurício de Sousa, que aceitou o pedido. Na tirinha original, um personagem pergunta a Chico Bento: "Meu pai tem 800 cabeças de gado, e o seu?" e Chico responde "O meu pai só tem um boi, mais (sic) ele tá inteirinho". Já na tira adulterada, Chico diz: "Fala para ele enfiar tudo no c....".

 

Acima, a versão original da tirinha; abaixo, a versão alterada. Foto Reprodução

 

Em nota, o governador agradeceu a contribuição de Sauer ao longo de dois anos e sete meses de governo, ressaltando os avanços significativos na educação, sobretudo na alfabetização de adultos, com o Topa (Programa Todos pela Alfabetização). O novo secretário disse que dará continuidade ao projeto que já existe no governo.

 

Osvaldo Barreto é graduado em Economia pela Universidade Federal da Bahia, fez curso de especialização em Planejamento na Universidade Federal de Minas Gerais (1973) e mestrado em Administração pela Universidade Federal da Bahia (1994).

 

(Com Solange Spigliatti, da Central de Notícias)

 

Atualizado às 17h34 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.