Após polêmica, BA muda comando da Secretaria da Educação

Revista 'Viva!', distribuída para professores da rede estadual, foi carimbada para esconder erro em ilustração

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2009 | 15h02

A polêmica gerada por um erro de edição da revista educativa Viva!, fez o governo da Bahia trocar o comando da Secretaria de Educação. A publicação estava com uma tirinha do personagem Chico Bento, de Maurício de Sousa, adulterada (veja abaixo). De acordo com a assessoria da administração estadual, o governador negou que o afastamento tenha relação com o episódio, mas com uma mudança pretendida na gestão da educação.

 

No primeiro número da revista, lançada em fevereiro deste ano, um quadrinho usado como ilustração saiu com o balão de fala com erro. Para não perder os exemplares impressos, carimbaram o desenho e distribuíram as revistas normalmente. Segundo nota da secretaria, apesar do erro, "continuou-se a distribuição (da revista) especialmente pela qualidade de seu conteúdo pedagógico". A equipe editorial da revista também foi substituído, segundo o governo estadual. 

 

O governador da Bahia, Jaques Wagner, justificou a mudança pela necessidade de fazer um ajuste administrativo na secretaria. No lugar de Adeum Sauer entra o também professor Osvaldo Barreto Filho, assessor da reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e ex-diretor da Fundação de Amparo a Pesquisa e Extensão (Fapex). A transmissão de cargo ainda não tem data marcada.

 

Sauer assumiu a secretaria no início do mandato de Wagner, em 2007, e enfrentou vários problemas administrativos e greves de professores. Ficou nacionalmente conhecido na semana passada, quando os veículos de comunicação noticiaram a tirinha adulterada, na qual o personagem Chico Bento falava um palavrão.

 

Os 60 mil exemplares da revista foi distribuída aos professores em março e, logo que a falha foi detectada, 50 mil exemplares foram recolhidos e receberam um carimbo para evitar a reimpressão. Na semana passada, quando o erro tornou-se público, o ex-secretário disse que os professores eram "inteligentes o suficiente" para saber que houve um erro e que, por as revistas não terem os estudantes como público-alvo, o episódio não tinha "consequência nenhuma".

 

O governo atribuiu o erro a uma funcionária terceirizada, responsável pela diagramação da revista. O próprio governador teria ligado para pedir desculpas a Maurício de Sousa, que aceitou o pedido. Na tirinha original, um personagem pergunta a Chico Bento: "Meu pai tem 800 cabeças de gado, e o seu?" e Chico responde "O meu pai só tem um boi, mais (sic) ele tá inteirinho". Já na tira adulterada, Chico diz: "Fala para ele enfiar tudo no c....".

 

Acima, a versão original da tirinha; abaixo, a versão alterada. Foto Reprodução

 

Em nota, o governador agradeceu a contribuição de Sauer ao longo de dois anos e sete meses de governo, ressaltando os avanços significativos na educação, sobretudo na alfabetização de adultos, com o Topa (Programa Todos pela Alfabetização). O novo secretário disse que dará continuidade ao projeto que já existe no governo.

 

Osvaldo Barreto é graduado em Economia pela Universidade Federal da Bahia, fez curso de especialização em Planejamento na Universidade Federal de Minas Gerais (1973) e mestrado em Administração pela Universidade Federal da Bahia (1994).

 

(Com Solange Spigliatti, da Central de Notícias)

 

Atualizado às 17h34 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.