Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Após erro do MEC, dados do Enem de mais 961 escolas são divulgados

Inep admitiu 'equívoco' ao não considerar todas as instituições de ensino médio integrado à educação profissional para compor o ranking inicial

Luísa Martins, O Estado de S. Paulo

31 Outubro 2016 | 22h21

BRASÍLIA - Com quase um mês de atraso, o Ministério da Educação (MEC) divulgou o desempenho de 961 escolas que haviam, por causa de um erro, ficado de fora da primeira divulgação dos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão da pasta responsável pela avaliação, admitiu um "equívoco" ao não considerar todas as instituições de ensino médio integrado à educação profissional para compor o ranking inicial, apresentado em 4 de outubro.

Por causa da inclusão desses colégios no universo dos cálculos, 355 instituições de ensino tiveram seus resultados modificados. Das novas escolas avaliadas, uma se destacou e entrou no rol das cem melhores médias do Enem: o Instituto de Tecnologia ORT, no Rio de Janeiro (RJ). É uma instituição privada e conquistou a 95ª colocação, tirando do top 100 o Colégio Integrado Jaó, de Goiânia (GO).

A lista inclui duas instituições que já haviam sido consideradas para elaborar o primeiro ranking: o Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (SP), em 44º lugar, e o Colégio Visconde de Porto Seguro, de Valinhos (SP), em 46º. Ao admitir o erro, o Inep justificou que um problema na interpretação da legislação havia deixado de incluir a maioria das escolas de ensino médio integrado.

Das 961 escolas adicionadas aos cálculos, 580 são estaduais, 276 federais, 96 particulares e 13 municipais. As instituições poderão acessar seus resultados nas plataformas online do MEC a partir de sexta-feira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.