Grupo invade e depreda sede da Apeoesp de Mogi das Cruzes

Professores da rede municipal se reuniam no local no momento da invasão; ninguém ficou ferido e nenhum dos autores foi identificado

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

02 Junho 2015 | 13h57

SÃO PAULO - Um grupo de 15 homens invadiu e depredou a sede do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) de Mogi das Cruzes, na noite desta segunda-feira, 1º. No momento da invasão, ocorria uma reunião com cerca de 20 professores da rede municipal. Ninguém ficou ferido.

De acordo com Vânia Pereira da Silva, coordenadora da Apeoesp do município, os homens entraram no local e perguntaram aonde ocorria a reunião. Ao entrar na sala, um dos homens gritou que a reunião seria encerrada e ordenou que todos os professores saíssem do local. “Eles deram tempo para que pegassem as bolsas e celulares. Então, começaram a quebrar tudo. Jogaram computadores e a televisão no chão, quebraram as mesas, cadeiras, janelas. Tudo”, disse.

Após depredarem o local, os homens foram embora. Um boletim de ocorrência foi registrado no Plantão Policial de Mogi das Cruzes por dano ao patrimônio.

Os professores de Mogi das Cruzes entraram em greve em março junto com o sindicato dos servidores municipais, por dez dias. Eles pediam reajuste salarial de 21%, mas aceitaram a proposta de 6,40% da prefeitura e encerraram a greve. Em nota, a prefeitura informou que não tinha sido informada da invasão ao sindicato.

O presidente do sindicato dos servidores municipais, Benedito Francisco de Souza, também disse desconhecer a invasão ao local.

Em nota, a Apeoesp informou que a reunião era de professores municipais de oposição à direção do sindicato local. “Não podemos tolerar nem aceitar a escalada de violência e de ataques à democracia, à liberdade sindical, ao direito de organização e expressão”, disse.

Mais conteúdo sobre:
Apeoesp sindicato

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.