Estadão
Estadão

Análise: Política educacional focada em avaliações é equivocada

'Ensina-se para os testes e não para a vida, ou seja, não se ensina buscando formar um grande cidadão e um qualificado profissional'

Maria Márcia Malavasi *, O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2017 | 03h00

Há anos não vemos melhoras significativas nos indicadores educacionais de São Paulo. O que temos são melhorias pontuais como as notadas em Matemática. Claramente as políticas públicas construídas no Estado, com base nos resultados de provas, têm se mostrado equivocadas e sem benefício para os estudantes. 

Ensina-se para os testes e não para a vida, ou seja, não se ensina buscando formar um grande cidadão e um qualificado profissional. E para induzir bons resultados nos testes treina-se o aluno em sala de aula. O resultado é um desastre, como visto nos últimos anos.

E pior: no caso de insucesso nos resultados, culpa-se o professor, o diretor e até os estudantes “que não se esforçaram”. No caso de sucesso, premia-se a escola ou o docente com bônus. Ao final, o culpado nunca é a política equivocada que não motiva instituições.

* PROFESSORA DA UNICAMP E ESPECIALISTA EM AVALIAÇÃO EDUCACIONAL

Mais conteúdo sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.