DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Análise: Desafio será superar gargalos estruturais para tornar o Enem digital

O governo acerta ao mirar em modelo mais sofisticado de tecnologia para a prova, fugindo da simples digitalização. Mas sua viabilização depende de investimentos em tecnologia e montagem de um grande banco de questões

Olavo Nogueira Filho*, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2019 | 03h00

A discussão sobre a realização do Enem no computador perpassou vários governos e é uma proposta defendida pelos principais especialistas em educação e avaliação do País. É positivo ver a manutenção e a vontade de se concretizar a ideia, que tem como objetivo uma aplicação com menor grau de complexidade. Hoje, a aplicação do exame exige uma operação de guerra. 

Mas para que se torne viável será necessária uma estratégia bem construída, que consiga superar os entraves de infraestrutura do País. Quando se fala em prova digital, é preciso pensar na situação real do ensino. Há internet, computador e até mesmo energia elétrica nas escolas? Todas essas respostas devem aparecer no plano de migração. 

O governo acerta ao mirar em modelo mais sofisticado de tecnologia para a prova, fugindo da simples digitalização. Mas sua viabilização depende de investimentos em tecnologia e montagem de um grande banco de questões. O detalhamento desses passos é fundamental.

*É DIRETOR DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO MOVIMENTO TODOS PELA EDUCAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.