Ampliar proibições e enrijecer regras não resolve

Professora da Faculdade de Educação da Unicamp fala sobre disciplina na escola

Isis Brum, Jornal da Tarde

16 Maio 2011 | 11h44

Doutora em Psicologia e professora da Faculdade de Educação da Unicamp, Telma Vinha diz que o conceito de indisciplina foi banalizado. Para ela, o educador interpreta como mau comportamento toda atitude do aluno que represente interferência em sua disciplina ou ameace sua autoridade. “Mas não percebe que o conflito é uma oportunidade de aprendizado”, defende Telma.

 

Dos que falam demais - ou muito pouco - aos que se agridem ou furtam objetos dos colegas, o jeito é negociar e discutir o assunto. Impor regras e ampliar proibições, para inibir ou tentar evitar conflitos futuros, “não resolve”, na avaliação de Telma.

 

Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Moral (Gepem) da Unicamp, Luciene Regina Paulino Tognetta concorda. “Agindo assim, a escola não permite que os alunos experimentem pensar sobre os problemas que têm, as consequências que causam e a negociação possível.”

 

"O conflito é uma oportunidade de aprendizado"

TELMA VINHA, PSICÓLOGA E PROFESSORA DA UNICAMP

 

Veja também

 

linkFalta de disciplina na escola é maior em SP

Mais conteúdo sobre:
Escola Disciplina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.