Amazonas faz vestibular para professores indígenas

Professores indígenas, diretores, gestores, secretários e coordenadores de escolas indígenas de seis municípios do Alto Solimões (AM) podem se inscrever no processo seletivo ao curso de licenciatura específica para professores indígenas oferecido pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA), campus de Tabatinga. As inscrições podem ser feitas até o dia 24. A UEA, com apoio financeiro do MEC, abre 250 vagas no curso de licenciatura para os três povos indígenas que habitam os municípios de Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá e Tonantins. São 230 vagas para o povo ticuna, que tem uma população de 36 mil pessoas no Alto Solimões, e 20 vagas para os povos caixana e cocama.As inscrições podem ser feitas na sede da Organização Geral dos Professores Ticunas Bilíngües, na aldeia Filadélfia (Benjamin Constant); no Centro de Estudos Superiores da UEA, em Tabatinga; na Coordenação de Educação Indígena da Secretaria Municipal de São Paulo de Olivença; na Secretaria Municipal de Educação, em Amaturá; na Escola Estadual Pedro I, em Santo Antônio do Içá; e Secretaria Municipal de Educação, em Tonantins.As provas, em 24 de junho, constam de redação e títulos. Para os candidatos ticunas, a redação será em português ou no idioma ticuna e para os povos caixana e cocama, em português. No dia da prova, a UEA vai sortear os temas da redação. A redação vale 20 pontos e os títulos, dez pontos.O resultado será divulgado em 10 de julho e as matrículas serão nos dias 14 e 15 de julho. O curso terá duração de cinco anos, divididos em dez etapas presenciais e nove intermediárias.

Agencia Estado,

16 de junho de 2006 | 18h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.