Alunos vaiam manifestação

Colegas voltaram a criticar Geisy, mas gostaram de ver apresentadora do 'Pânico' com minissaia

Flávia Tavares, O Estado de S. Paulo

09 Novembro 2009 | 21h03

A manifestação realizada por integrantes do Movimento pelos Direitos das Mulheres e da UNE nesta segunda-feira na porta da Uniban recebeu vaias de alunos favoráveis à expulsão da estudante Geisy Arruda. Já passava das 20h30 e o clima ainda era de hostilidade contra a aluna, cuja punição tinha sido revogada à tarde pela universidade. Mesmo depois que o carro de som deixou a porta da universidade, às 20h05, alunos gritavam frases como "vai trabalhar" e "vai arrumar emprego" para as cerca de 100 pessoas que se manifestavam no local. Durante a tarde, um grupo de alunos vaiou quando o carro de som anunciou a decisão da universidade de manter Geisy na instituição. Parte deles gritou "vocês não estavam aqui" para a imprensa e os manifestantes. O aluno de Rádio e TV Aderson de Souza acredita que Geisy teve culpa na repercussão que o caso teve. "A atitude dos alunos não têm justificativa, mas o caso não teria tomado essa proporção se ela não tivesse se promovido." Arthur, estudante de Moda, se mostrou preocupado com o reflexo do episódio na sua carreira. "Quando eu for procurar emprego, certamente vão me perguntar dela e isso vai me prejudicar." No meio da tarde, a apresentadora do programa Pânico na TV Sabrina Sato provocou ainda mais confusão. Ela apareceu na prota da Uniban com um vestido similar ao usado por Geisy no dia dos insultos. Foi recebida com gritos de "gostosa". "Se a gente chamasse a Geisy de gostosa, todos iam achar que homem da Uniban gosta de baranga", disse um aluno que não quis se identificar.

Mais conteúdo sobre:
pontoedu uniban geisy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.