Reprodução
Reprodução

Polícia desocupa escola em SP e leva 20 estudantes para a delegacia

Alunos foram detidos e depois liberados pela polícia após protesto contra a reforma do ensino médio anunciada por Temer

Rene Moreira, Especial para O Estado

13 Outubro 2016 | 16h20

A Polícia Militar apreendeu 20 estudantes em uma escola de Campinas, no interior de São Paulo, que estava ocupada contra a reforma do ensino anunciada pelo governo federal. No total, 14 adolescentes e 6 jovens que estavam no local desde terça-feira, 11, foram levados em um ônibus da PM para a 2ª Delegacia Seccional na manhã desta quinta-feira, 13.

Eles são acusados de causarem danos à Escola Estadual Newton Pimenta Neves, no Jardim Aeroporto. No entanto, acabaram liberados pela polícia que enfrentou protestos de pais dos alunos detidos, de outros estudantes e de movimentos sociais na porta da delegacia.

O advogado dos detidos, Vinícius Cascone, considerou o ato "arbitrário" e reclamou porque, segundo ele, a polícia não tinha mandado para a reintegração de posse da escola. Já a PM alegou ter tomado esta medida após receber denúncias de danos, que não ficaram comprovados. 

 

 

Negociação. Por sua vez, a Secretaria Estadual da Educação argumentou ter tentado sem sucesso dialogar com os manifestantes. E disse que "não pactua com o impedimento de quaisquer aulas desejadas pela maioria dos alunos". Lembrou ainda que as reivindicações do protesto não são de responsabilidade do Estado.

Policiais contaram que não houve confronto na desocupação e nem a necessidade do uso de força física. No total mais de 50 estudantes estavam ocupando a escola em razão das medidas anunciadas pelo governo de Michel Temer que modificam o ensino médio no País.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que "por volta das 6h desta quinta-feira, foi realizada a desocupação da Escola Estadual Newton Pimenta Neves. A ação foi pacífica e ocorreu após o registro de invasão feito pela diretoria da escola na Polícia Civil. Não houve qualquer incidente na retirada dos manifestantes, que foi acompanhada por integrantes do Conselho Tutelar".

A nota informa ainda que "a Polícia Militar conduziu 14 adolescentes e seis adultos até a 2ª Delegacia Seccional de Campinas, que elaborou boletim de ocorrência de 'dano'. O registro, que foi acompanhado por pais, advogados e conselheiro tutelar, será investigado por inquérito policial".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.