Alunos recebem 2ª prova amarela também com erros

Em Curitiba, candidatos prejudicados chegam a desistir do Enem

Julio Cesar Lima, Especial para o Estadão.edu

07 Novembro 2010 | 14h25

Num único local de prova de Curitiba, a reportagem localizou no começo da tarde três candidatos que receberam ontem cadernos do Enem com folhas das provas amarela e branca misturadas. Depois de muita espera, os estudantes tiveram o caderno trocado pelos fiscais – dois deles receberam de novo provas com folhas misturadas.

“Notei que o caderno tinha problemas, com textos repetidos, com mais ou menos 10 minutos de prova. Depois percebi que pelo menos 14 questões tinham problemas”, disse Veridiana Ferteski, de 18 anos, que busca vaga em Direito na Federal do Paraná ou na PUC.

Veridiana afirmou que avisou o fiscal da sala, nas Faculdades Opet, no bairro Bom Retiro, que pediu tempo para falar com coordenadores. “Ele voltou com outra prova, mas ela também tinha trechos repetidos”, afirmou.

A estudante disse que colegas prejudicados desistiram do Enem. “Eles nem vieram fazer o segundo dia de prova.”

Vinícius Bittar, de 19, candidato a uma vaga em Medicina na Federal, também se queixou ontem ao fiscal na Opet de erros no caderno de provas – e recebeu outro com problemas. “Fui prejudicado”, reclamou o candidato, que admitiu a hipótese de recorrer à Justiça.

Candidato a uma vaga em Administração, Victor Beluzzo, de 17, teve um pouco mais de sorte que os colegas. “No primeiro caderno de provas, havia ‘pulos’ nas questões, Num trecho, por exemplo, saltava da 19 para a 21.”

Victor teve o caderno de prova trocado e recebeu uma versão correta. “Mas teve muito burburinho quando os alunos começaram a perceber os problemas. Levou de 40 minutos a 1 hora para entregarem o outro caderno.”

Estão inscritos para prestar o Enem na Opet do Bom Retiro 380 candidatos. A reportagem apurou que cerca de 80 alunos deixaram de fazer a prova no primeiro dia do exame. A expectativa é de abstenção mais alta hoje, por conta dos problemas registrados ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.