Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Alunos que ocupam prédio na USP vão protestar em frente à reitoria

Estudantes acampados na FFLCH são contra a presença da PM no câmpus da zona oeste

Bruno Paes Manso e Denize Guedes, O Estado de S. Paulo

31 Outubro 2011 | 16h51

Estudantes que ocupam o prédio da administração da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP prometem fazer nesta segunda-feira uma assembleia geral para decidir até quando continuarão no edifício. E preparam um protesto para as 18 horas em frente à reitoria. A principal reivindicação é a retirada da Polícia Militar do câmpus da zona oeste da capital.

 

No fim de semana, o prédio ocupado teve atividades que discutiram de Vladimir Lenin e as estratégias marxistas para tomada de poder às críticas feitas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre a política de drogas na América Latina.

 

No almoço de ontem, alunos que ocupam o prédio desde a noite de quinta-feira - quando três estudantes da Geografia foram detidos com maconha - debateram o livro O Estado e a Revolução, de Lenin. Na noite de sábado, havia sido exibido o documentário Cortina de Fumaça, de Rodrigo de Mac Niven, que debate a política de drogas no Brasil e no mundo e entrevista FHC. A política de drogas voltaria a ser debatida na madrugada de hoje, com o documentário Notícias de uma Guerra Particular, de João Moreira Salles, sobre o narcotráfico no Rio.

 

O diário da ocupação está sendo divulgado no blog http://ocupauspcontrarepressao.blogspot.com e no Facebook (www.facebook.com/OcupaUsp).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.