Alunos que não conseguem acompanhar as aulas desistem da faculdade

O comerciante Evânio Viana Nobre, 42 anos, abandonou o ensino fundamental, na sétima série, por dificuldades com a Matemática. Retornou à sala de aula aos 21 para obter o primeiro diploma e, aos 30, para cursar o ensino médio. Quando iniciou a faculdade, Licenciatura em Matemática, percebeu que estava totalmente despreparado.

Isis Brum, Jornal da Tarde

01 Julho 2011 | 11h14

 

“Eu pensei que iria rever os conteúdos do ensino fundamental e médio para poder dar aulas, mas não é isso que ocorre”, diz ele. “Não conseguia acompanhar as aulas e, no segundo semestre, contratei um professor para ter aulas particulares, mas acabei largando o curso”, revela Nobre.

 

Cerca de dez anos depois, o comerciante resolveu que retornaria à faculdade. Na Universidade de Guarulhos (UnG), conheceu o cursinho de reforço e, com esse auxílio, está quase concluindo seus estudos. Sua dedicação estimulou a família. A sala de estar, hoje, tem duas lousas brancas, usadas por ele, pela mulher e pelos filhos durante as horas de estudo em casa.

 

“Fiz o ensino médio de qualquer jeito para ter o diploma e poder prestar um concurso”, conta. “Só que é uma ilusão. Desse jeito, só é possível fazer o concurso da loteria”, brinca. Ele lembra que, dos 40 alunos que ingressaram no curso junto com ele, apenas 13 chegaram ao último ano. A maioria desistiu, acredita, por não conseguir acompanhar as aulas.

 

O auxiliar de cobrança André Luiz Barbosa Bispo, de 26 anos, está no segundo ano do curso de Letras na mesma universidade. Ele fez cursos em Ortografia e ao menos dois em Literatura Portuguesa. “Tive algumas dificuldades”, admite. “Mas, infelizmente, a realidade é que existem pessoas que cometem erros de português ao falar, não respeitam a pontuação. É constrangedor. Alguns desistem por não conseguirem acompanhar.”

 

Para a autônoma Cíntia da Silva Augusto, de 38 anos, também estudante de Letras, as deficiências existem e podem ser superadas com estudo e comprometimento. “É o aluno quem faz o curso”, diz.

Mais conteúdo sobre:
Ensino superior

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.