Alunos protestam por falta de professores de Direito na UFMS

Segundo centro acadêmico, dos 30 docentes que dão aula na Faculdade de Direito, apenas nove são efetivos

João Naves de Oliveira, de O Estado de S.Paulo,

10 de abril de 2008 | 15h23

Um total de 300 estudantes de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), realizou protesto nesta quinta-feira, 10, em frente à reitoria da instituição, em Campo Grande. Portando faixas, cartazes e gritando frases de efeitos, pediram mais professores efetivos ao reitor Manoel Catarino Peró.   Segundo o presidente do centro acadêmico, Caio Martinez, "30 professores ministram aulas para os 650 alunos da Faculdade de Direito, e apenas nove são efetivos. Os restantes são voluntários, não são remunerados". Reivindicam a convocação de dois professores aprovados no último concurso, e a abertura de pelo menos 10 vagas para professores efetivos no curso de Direito.   O chefe de gabinete da reitoria Robert Souza, explicou que o reitor está viajando, mas na próxima segunda-feira, 14, atenderá os estudantes. Quanto à convocação dos dois professores, afirmou que ambos já estão com a nomeação assinada pelo reitor, faltando apenas a publicação no Diário Oficial da União. Ele reconhece o déficit alegado pelos acadêmicos, mas alega que para abrir novas vagas é necessário autorização do Ministério da Educação (MEC).   Depois de três horas de protesto, os manifestantes seguiram em passeata até a sede do Ministério Público Federal, onde entregaram documentos solicitando a intermediação do órgão na questão. Segundo afirmam, a universidade recebeu autorização para contratar 20 docentes, e nenhum deles para o curso de Direito. Também querem a instalação da Faculdade de Direito de Campo Grande, criada há três anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.