Alunos inadimplentes podem migrar para universidades públicas

Alunos inadimplentes em faculdades privadas terão a oportunidade de migrar para universidades públicas sem perder o investimento nos anos de estudo. Esta é, na avaliação do reitor da Universidade Federal do Paraná, Carlos Augusto Moreiro Junior, a principal vantagem do projeto do governo federal de estimular o aproveitamento das vagas ociosas nas instituições de ensino superior.O reitor diz que nas atuais transferências aceitas pelas universidades se faz um aproveitamento curricular. Na maioria das vezes, o aluno é impedido de progredir no curso porque precisa cursar matérias obrigatórias do básico. Agora, o aluno passará por um exame do conteúdo das disciplinas correspondentes aos anos anteriores ao da vaga que disputar. Se aprovado, os anos de estudo serão convalidados e ele prosseguirá normalmente o curso.O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), Paulo Alcântara Gomes, afirma que para aproveitar as vagas ociosas nas instituições de ensino superior serão necessários ajustes orçamentários internos. O racicíonio é simples: mais alunos em sala de aula aumentará, por exemplo, o gasto de material de consumo nos laboratórios. "O interesse de todos é preencher as vagas, mas é necessário preparo administrativo", insiste Gomes. O reitor da UFPR diz que, em média, de cada 100 alunos matriculados nas universidades, apenas 64 saem com o diploma. O dado é do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep). Entre as causas da evasão estão a necessidade de o aluno trabalhar para ajudar no orçamento da família e a dificuldade vocacional. A UFPR foi uma das quatro universidades anunciadas pelo governo federal com condições de preencher as vagas ociosas de imediato. "É primeira vez que realizamos este tipo de seleção", conta o reitor. Os alunos passarão por provas objetivas, discursivas e específicas. Serão oferecidas 1.009 vagas em várias áreas, abertas pela desistência de alunos que não confirmaram o seu registro acadêmico para este ano.Os interessados poderão se inscrever até o dia 23 pela internet (www.nc.ufpr.br). A taxa de inscrição é de R$ 137,00. São 15 vagas, a partir do terceiro ano, para o curso de medicina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.