Alunos de Gerontologia são tratados como netos pelos colegas idosos

Nas salas mistas da USP, diferentes gerações trocam experiências e conhecimentos

Mariana Lenharo, do Jornal da Tarde,

30 Janeiro 2012 | 22h22

SÃO PAULO - Os alunos do curso de Gerontologia da Universidade de São Paulo (USP) têm o privilégio de conviver com seus temas de estudo. Desde que o programa Universidade Aberta à Terceira Idade foi lançado na USP Leste, em 2006, os alunos de graduação dividem a classe com os colegas de mais de 60 anos.

 

Para a professora Meire Cachioni, essas relações intergeracionais promovem uma rica troca de conhecimento. "Eles interagem muito bem e, nas disciplinas de Gerontologia, são exemplos vivos do que está sendo trabalhado teoricamente". Segundo Meire, os alunos da graduação acabam sendo tratados como netos pelos idosos.

Mais conteúdo sobre:
USP Gerontologia Terceira Idade

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.