Alunos de escolas técnicas protestam contra 'merenda seca'

Estudantes fizeram passeata em Sorocaba contra mudança que prevê a substituição de arroz e feijão por barras de cereais e biscoito

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

23 Março 2015 | 17h42

SOROCABA - Alunos de duas escolas técnicas do Centro Paula Souza, do governo estadual, fizeram uma passeata pelas ruas de Sorocaba, nesta segunda-feira, 23, em protesto contra a troca na merenda escolar. Eles querem que seja mantida a merenda tradicional, em lugar da chamada "merenda seca", composta de barras de cereais e biscoitos, que passará a ser servida pela instituição a partir de 1º de abril. 

Mais de 200 estudantes das escolas Rubens de Faria e Souza e Fernando Prestes com cartazes e faixas marcharam pelas ruas do centro, aos gritos de "arroz, feijão, merenda seca não", e ocuparam a frente da Diretoria Regional de Ensino. No local, eles sentaram-se no chão e simularam um piquenique, abrindo pacotes de biscoitos. Os alunos alegam que parte dos estudantes do ensino médio fica até 15 horas na escola e necessita de merenda reforçada.

O Centro Paula Souza informou que a prefeitura de Sorocaba, até então responsável pelo serviço de merenda nas escolas técnicas do município, comunicou recentemente que o serviço será interrompido no dia 31 de março. "Para que a merenda possa voltar a ser servida, está em andamento um processo de contratação de merendeiras. Até que isso ocorra, os alunos receberão a merenda seca, que inclui bebidas lácteas e sucos, barras de cereais, bolinhos, biscoitos entre outros itens", informou em nota, acrescentando que a situação é temporária.

Mais conteúdo sobre:
Educação Sorocaba Centro Paula Souza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.