Alunos de EAD têm aula no aeroporto

Alunos de EAD têm aula no aeroporto

Polo presencial em Guarulhos atende pilotos e despachantes de cargas

Mariana Mandelli, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2010 | 10h04

Anteontem, por volta das 20h30, 2.666 alunos da Uninter assistiam à aula de Câmbio e Economia Internacional do curso de Comércio Exterior. Três deles estavam em Oiapoque (AP), 2 em Pelotas (RS), 2 em Porto dos Gaúchos (MT) e 30 em Guarulhos, dentro do Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de São Paulo. De Curitiba (PR), o professor fazia sua explanação.

O polo atende alunos de uma especialização e de cinco graduações da faculdade. Em quatro anos, 80 alunos se formaram em cursos a distância ali. Cerca de 95% deles são funcionários do aeroporto, como pilotos, copilotos, comissários de bordo e despachantes de cargas nacionais.

“No começo do curso, eu fazia até quatro voos internacionais por mês”, lembra o piloto Rodrigo Lemos, de 36 anos. “Depois fui promovido para comandante de voos nacionais e a escala apertou um pouco, mas eu já estava no ritmo da faculdade”, lembra o piloto, que se formou em Processos Gerenciais frequentando o polo do aeroporto. Lemos chegou a fazer aulas em polos de outras cidades e Estados e aproveitava os pernoites dos voos para estudar.

A localização do polo também encaixou-se perfeitamente na rotina de Ana Paula Peixoto, de 30 anos, que trabalha no atendimento ao cliente de uma companhia aérea. Ela trabalha há quatro anos na área, ainda não tinha diploma e tentava encontrar um curso que se encaixasse em sua rotina profissional.

“Juntei a necessidade com a praticidade”, afirma. Ela confessa que, antes de começar o curso, tinha receio da modalidade. “Mas, quando comecei a fazer, superou minhas expectativas.”

Rotina. A vendedora de carga aérea Renata Benetti, de 37 anos, consegue encaixar o curso de EAD na vida profissional e pessoal – ela tem dois filhos. “Chego em casa, tomo banho, janto, checo a lição de casa dos meninos e só depois sento para estudar”, conta. “Acho que me encontrei nesse curso.” M.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.