Alunos de Direito da USP querem processo contra vice-diretor

Casella teria tentado revogar decisão de transferência de livros

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

13 de maio de 2010 | 17h03

Alunos e professores da Faculdade de Direito USP decidem neste momento, em reunião da Congregação, a abertura de processo administrativo e de uma sindicância contra o vice-diretor, Paulo Borba Casella, que na última sexta-feira tentou revogar ordem de transferência dos livros da biblioteca para o prédio histórico. A Congregação é a instância máxima da faculdade, que decide sobre as ações da institutição.

 

 

Veja mais:

Alunos de Direito da USP ficarão parados até segunda-feira

- Acompanhe, no blog do Estadão.edu, a reunião na Faculdade de Direito da USP

 

Os alunos, que paralisaram as atividades na faculdade, chamam Casella de "golpista". O vice-diretor tentou barrar a transferência dos livros que estavam em caixas no prédio anexo da rua Senador Feijó. A ordem ha via sidio dada pelo diretor da faculdade, Antonio Gomes Magalhães Filho, em conformidade com decisão judicial da semana passada.

 

 

Casella é ligado ao ex-diretor da faculdade de Direito, João Grandino Rodas - atual reitor e responsável pela mudança de dois acervos da biblioteca para o prédio anexo. O imóvel está em condições precárias e até um vazamento atingiu as obras.

Mais conteúdo sobre:
USPDireito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.