Alunos da USP presos em reintegração de posse são liberados

Estudantes de Filosofia foram indiciados por danos e furto ao patrimônio público, além de formação de quadrilha

Bárbara Ferreira Santos e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2013 | 19h39

Os dois estudantes detidos durante a reintegração de posse da reitoria da Universidade de São Paulo (USP) foram libertados na noite desta quarta-feira, 13. De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária, os alunos saíram do Centro de Detenção Provisória de Osasco, na Grande São Paulo, por volta das 18h30.

O Tribunal de Justiça de São Paulo havia concedido o relaxamento de prisão de João Vítor Gonzaga Campos, de 27 anos, e Inauê Taiguara Monteiro de Almeida, de 23 anos, na tarde desta quarta.  A decisão foi proferida pela juíza Juliana Guelfi, do Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo) do TJ-SP. "A Justiça reconheceu a ilegalidade da prisão" afirmou o advogado do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Felipe Vono.

Campos e Almeida, do curso de Filosofia, foram presos pela Tropa de Choque da Polícia Militar na Cidade Universitária nessa terça-feira, 12, encaminhados ao 93º DP (Jaguaré) e depois levados ao 91º DP (Ceasa), onde passaram a noite. Eles foram indiciados por danos e furto ao patrimônio público, além de formação de quadrilha. Segundo o advogado do DCE, ele não participaram da ocupação na reitoria da universidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.