Alunos da Economia da PUC-SP estão sem aulas

Universidade diz que está 'remanejando' turmas; situação já ocorreu no ano passado

Carlos Lordelo, do Estadão.edu,

08 Fevereiro 2012 | 20h44

SÃO PAULO - Alunos de Economia da PUC-SP estão sem aulas desde segunda-feira, quando começou o semestre letivo. A coordenação do curso diz que está “remanejando turmas”, enquanto os estudantes reclamam da falta de informação e professores falam em cortes de classes e disciplinas. A mensalidade da graduação custa R$ 1,5 mil.

Segundo o Centro Acadêmico da FEA-PUC, o mesmo problema ocorre nos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Atuária. O vice-presidente acadêmico do C.A., Guilherme Bertoldi, lembra que a situação não é nova. “No ano passado fecharam turmas inteiras, inclusive a minha, e algumas disciplinas.” Ele está no 3.º ano de Economia.

Em nota, a universidade afirma que o remanejamento ocorre quando o número de alunos não atinge o mínimo para a formação de uma turma. O procedimento não acarretaria “prejuízo acadêmico”. A FEA e outra faculdade – a PUC não informou qual – recorreram da decisão. Amanhã, o reitor Dirceu de Mello deve receber representantes de ambas para avaliar “casos pontuais”. Segundo a nota, as outras sete faculdades não pediram reconsideração.

Juarez Belli, diretor da FEA, espera que a grade do curso fique pronta amanhã e as aulas comecem na sexta-feira. “O remanejamento é um processo natural de todo início de semestre. Vamos repor as aulas para que os alunos não tenham menos que 17 semanas de classe.”

Para o aluno Guilherme, a situação é uma “falta de respeito”. “Não tem sequer um responsável para avisar os alunos sobre o que está havendo”, afirma. Somente nesta quarta-feira, às 11h, os estudantes foram advertidos das mudanças, por e-mail. As aulas, no período da manhã, começam às 7h30.

PARA LEMBRAR

No ano passado, parte dos alunos de seis cursos, entre eles Economia e Psicologia, não conseguiu se inscrever para assistir a todas as aulas do semestre, pois a instituição havia fechado as classes com menos de 25 pessoas.

Em protesto, alunos de Psicologia paralisaram as atividades. Depois de matérias publicadas no Estado e no Jornal da Tarde, a PUC voltou atrás e reabriu as matérias e turmas.

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
PUC Economia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.