Aluno tem ouvido protegido

A organização do Enem distribuiu protetores auriculares para todos os candidatos, por causa de um evento de Fórmula 1 na região de Interlagos

Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2014 | 02h01

Barulho de carros de corrida, de helicópteros e da torcida da Fórmula 1 nas salas em que o Enem foi aplicado ontem. Ruas interditadas, trânsito, ônibus lotados e falta de informação de PMs e agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Esse foi o cenário para quem fez o Enem na Universidade Estácio UniRadial, ao lado do Autódromo de Interlagos, zona sul da capital paulista.

Como na região acontecia o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, a organização do exame distribuiu protetores auriculares para todos os candidatos. O objetivo era evitar que os estudantes perdessem a concentração.

"Sem os protetores, dava para ouvir todo o barulho de fora. No fim, o som ficou mais baixo", disse Michely de Jesus Souza Silva, de 18 anos.

Já para o encarregado de manutenção Marcelo Santos, de 19 anos, tanto barulho atrapalhou a concentração. "O protetor não adiantou nada, porque o ruído era muito forte. Até os fiscais de prova ficavam na janela olhando a movimentação das ruas", contou.

Os coordenadores do local até tentaram fechar as janelas para abafar o som, mas os poucos ventiladores não deram conta do calor forte. No local, uma candidata e uma fiscal de prova tiveram de receber atendimento médico ontem por causa do calor, mas logo foram liberadas.

Outra dificuldade foi a interdição das ruas por causa da corrida, o que forçou candidatos a planejar bem o trajeto de entrada e saída da prova.

Mais conteúdo sobre:
Enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.