Aluna de ensino a distância terá intérprete de Libras

A medida é resultado de termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público Federal e Uninter

Estadão.edu

10 Dezembro 2009 | 14h39

  O Uninter, instituição especializada em ensino a distância, vai dispor, a partir de fevereiro do ano que vem, de intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) em televisão, ou telão proporcional ao tamanho das salas de aula de seu polo presencial na cidade de Osasco.    A medida é resultado de termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público Federal em São Paulo e tem como objetivo reparar a falta de intérprete de Libras para a aluna Carla Sant´ana Souza Nogueira, estudante de Pedagogia da entidade.   Desde o início do ano, Carla não tem intérprete. A faculdade se comprometeu com o MPF a ter um intérprete de Libras para acompanhar o tutor (professor) na tele-sala de pedagogia e nas atividades extra-classe.   A faculdade se comprometeu também a fornecer, nos próximos semestres, sem ônus para a estudante, aulas de reforço e provas de recuperação, sempre com a presença de intérprete, como compensação para a aluna. Em caso de descumprimento das obrigações, a instituição está sujeita ao pagamento de multa diária de R$ 2 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.