Alimentação escolar terá parâmetros nutricionais brasileiros

O Brasil terá, a partir de dezembro, parâmetros próprios para avaliar o estado alimentar e nutricional da população escolar. Atualmente, são usados parâmetros norte-americanos. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC), gestor do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), constituiu grupo de trabalho com o objetivo de analisar e avaliar os valores de referência de ingestão dietética, propondo a adequação por faixa etária das séries escolares. Os valores de referência de ingestão dietética são utilizados no planejamento e avaliação de dietas para pessoas saudáveis. Eles incluem os valores de ingestão mínima necessária para atingir necessidades nutricionais do indivíduo e os limites superiores que, aparentemente, não oferecem riscos à saúde. Segundo a nutricionista Lorena Chaves, técnica do Pnae, "ao fazer o planejamento dietético da alimentação escolar baseado em metas para o consumo médio da população escolar, será possível evitar a carência ou o excesso de energia e nutrientes, atuando-se na prevenção de doenças de caráter nutricional, como obesidade e desnutrição". O grupo é formado por técnicos do FNDE, do Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Associação Brasileira de Nutrição e universidades Católica de Brasília, Federal de Viçosa e UnB.O FNDE está envolvido, ainda, na elaboração da Pesquisa Nacional de Consumo Alimentar, que vai estudar o impacto do Pnae sobre o estado nutricional dos estudantes do ensino fundamental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.