AGU vai recorrer nesta quinta-feira de anulação de questões do Enem

Ministro Fernando Haddad deverá viajar ao Recife amanhã para conversar com o presidente do TRF sobre o recurso

Estadão.edu

03 Novembro 2011 | 15h16

O ministro da Educação, Fernando Haddad, deverá adiar para amanhã a viagem ao Recife. Ele iria nesta quinta-feira à capital pernambucana conversar pessoalmente com o presidente do Tribunal Regional Federal, Paulo Roberto de Oliveira Lima, sobre o recurso do MEC contra a anulação de 13 questões do Enem.

 

A Advocacia-Geral da União (AGU), no entanto, vai recorrer ainda hoje da decisão de primeira instância da Justiça Federal no Ceará.

 

No recurso, o MEC vai apresentar duas saídas contra a decisão que anulou 13 testes do exame em todo o País. O ministério vai pedir que sejam canceladas as 13 questões apenas dos 639 alunos do 3.º ano do ensino médio do Colégio Christus, de Fortaleza, ou que somente esse grupo de estudates faça outra prova.

 

Além de Haddad, devem ir ao encontro com o desembargador Paulo Roberto procuradores do MEC, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e da AGU.

 

O ministério considera que cancelar as questões para o País inteiro significa legitimar uma falha que não ocorreu. Para a pasta, o justo é restringir a decisão aos alunos do Christus – seja por meio do cancelamento das questões ou pela realização de um novo exame, o que ocorreria nos dias 28 e 29, datas que a prova será aplicada a presidiários e internos de unidades socioeducativas.

 

Sentença

 

A decisão da Justiça Federal no Ceará, que foi tomada na noite de segunda-feira, anulou 13 questões desta edição do Enem para todos os candidatos que prestaram a prova. As questões foram usadas em um simulado feito no Christus dez dias antes da aplicação do exame.

 

A suspeita é de que a escola tenha tido acesso a questões do pré-teste do Enem, realizado em 2010. Em seu perfil oficial no Twitter, o MEC afirma que considerou a decisão da Justiça “desproporcional e arbitrária”.

 

A Polícia Federal está investigando o caso.

Mais conteúdo sobre:
Enem MEC TRF Fernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.