Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Administrador 4.0 será colaborativo e ágil contra problemas

Profissional está sendo formado para saber gerir capital humano e encontrar solução rápida para obstáculos

Roberta Bencini, especial para o Estado

14 Setembro 2018 | 06h30

SÃO PAULO - Quando Enzo Fusaro, de 19 anos, passou no vestibular de Administração do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), seu pai naturalmente se encheu de orgulho. O empresário Waldomiro Fusaro, de 57 anos, voltou 30 anos no tempo e se lembrou de quando também ingressou no mesmo curso superior, em outra instituição. 

O gap existente entre as duas formações é enorme. Waldomiro aprecia a desenvoltura com a qual o filho, no segundo semestre da faculdade, discute estratégias de marketing, manipula planilhas e domina controles de produção e programação, em diferentes meios digitais. Em sua época de estudante, o empresário só contava com caderno, lápis e calculadora, as aulas eram expositivas e o professor detinha o conhecimento. Aulas práticas? Só no fim do curso e, mesmo assim, eram superficiais em comparação com o aprofundamento exigido atualmente. “Enzo fica testando meus conhecimentos, me estimula a não ficar parado. E vou dizer uma coisa: estou dando um baile nele em muitos quesitos”, conta Waldomiro. 

Realidade

A diferença na formação de pai e filho ilustra as transformações pelas quais o mundo vem passando. A revolução 4.0, ou a nova revolução industrial, já bate à porta e os profissionais que não estão estacionados no presente (ou no passado) se preparam para uma realidade de automatização marcada pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas. 

Nesse cenário, poder contar com pessoas qualificadas, em situações de colaboração e confiança, é um diferencial que amplia resultados e vira do avesso a forma atual de trabalhar e fazer negócios. A velocidade na tomada de decisões, um fator fundamental em um mercado cada vez mais competitivo, passa a depender muito mais da qualidade das relações interpessoais dentro de uma empresa do que da tecnologia já estabelecida. O boom das startups dá um pequeno panorama do que está por vir: empreendimentos com equipes enxutas, em ambiente de incerteza e que depende fortemente do potencial criativo de seus colaboradores.

Perfil

Para Rodrigo Ferreira, coordenador do curso de Administração do Ibmec, o administrador 4.0 continuará a ser um profissional dinâmico, empreendedor e atuante em várias frentes. “Mas duas características principais já se destacam na carreira e precisam ser aperfeiçoadas cada vez mais: saber administrar o capital humano e solucionar problemas de maneira rápida e eficiente”.

No primeiro semestre do curso do Ibmec, o aluno pode vivenciar a realidade de um ambiente corporativo ao participar de um programa de empresas juniores. Um processo de seleção rigoroso, como ocorre em grandes empresas, introduz o estudante em uma das células. Conseguir uma vaga já é o primeiro problema a resolver. Mas, uma vez dentro do programa, a qualidade da colaboração entre os participantes vai definir onde as equipes vão conseguir chegar. 

Enzo conquistou seu lugar no programa assim que ingressou na faculdade, no ano passado. Hoje é presidente de uma empresa júnior que atua como consultora para pequenos empreendedores que buscam organizar e ampliar negócios. Enzo e uma equipe formada por administradores, economistas e advogados buscam alternativas para reduzir custos e aumentar as vendas. Mas o aluno não parou aí.

No começo do ano, Enzo foi para um grande banco conhecer de perto o mercado financeiro. Por meio de um programa de estágio de férias (summer job), o estudante teve mais chances de trabalhar em equipe. “Participei de reuniões, visitei clientes, ajudei a solucionar questões simples. Aprendi como me portar em algumas situações e acompanhei o fluxo de venda de produtos até o fim de uma operação. Tudo em pouco tempo. Assim você fica estimulado a estudar, a crescer, a se aperfeiçoar”, conta o aluno. O que aprendeu em três semanas levou para a empresa júnior que administra no Ibmec. 

Essa curta trajetória cheia de experiências práticas exemplifica uma preocupação do Ibmec: “oferecer um repertório de vivências que conecte a teoria com a prática, de maneira rápida”. “Assim, interliga-se também a faculdade, a sociedade e o mercado. Nessa dinâmica, os alunos entram em contato com diferentes situações e áreas de trabalho, e com todo tipo de gente”, explica o coordenador do curso do Ibmec. 

Agilidade

No Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), o administrador 4.0 também está em testes, a pleno vapor. Lá a resolução de problemas é assunto tão sério que foi criado um programa específico só para desenvolver essa competência. A faculdade direcionou o currículo para uma metodologia de aprendizagem conhecida como problem based learning, ou aprendizagem baseada em problemas.

“As atividades propõem pesquisa e investigação, em discussões sobre problemas reais da área de administração, envolvendo conhecimentos de estatística e ferramentas socioemocionais”, explica Guilherme Martins, coordenador do curso de Administração.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
O administrador tem se tornado um profissional que transita por áreas em busca de respostas eficientes.
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Guilherme Martins, coordenador do curso de Administração do Insper

Em estudo recente, os alunos tiveram de elaborar uma estratégia de vendas para uma cerveja light, com direito a mentoria e banca para analisar o percurso e os resultados. A parceria com a empresa, uma das maiores companhias de bebidas da América Latina, exigiu que os alunos tivessem uma ampla visão do negócio, passando por vários departamentos. Cerca de 30 empresas participam do programa.

“A imagem que se tinha do administrador era de um profissional ultrapassado, em função do descolamento da realidade. Preso em um escritório, com terno e gravata, muitas vezes tinha de tomar decisões sozinho. Hoje o perfil é outro. O administrador tem se tornado cada vez mais um profissional curioso, que vai a campo, que experimenta, testa, pesquisa e transita por diversas áreas em busca de experiência e respostas eficientes”, explica o coordenador do curso do Insper.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.