SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Adesão a demissões na USP fica abaixo do teto

Folha de pagamento terá redução de 4,4% - e não de 6,5%, como esperado; 1.382 dos cerca de 17,3 mil servidores aceitaram PDV

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2015 | 03h00

A Universidade de São Paulo (USP) terá redução de 4,4% na folha de pagamento com o Plano de Demissão Voluntária, principal aposta contra a crise financeira da instituição. A porcentagem ficou abaixo do teto esperado pela reitoria, que era de 6,5% de redução da folha. A lista de interessados no programa foi publicada nesta sexta-feira, 6, no Diário Oficial do Estado. 

No balanço final, 1.382 dos cerca de 17,3 mil servidores técnico-administrativos aderiram ao programa - quase 8% do total de funcionários. No comunicado oficial, a USP não informou qual será o valor mensal economizado com a saída desses funcionários, prevista para acontecer entre fevereiro e abril. Para ser colocado em prática, o PDV precisava representar, no mínimo, 3,25% de redução na folha salarial. 

A adesão dos 1.382 servidores, segundo o comunicado no Diário Oficial, é irrevogável. O PDV não se estendia a professores, mas apenas a funcionários. Podiam participar servidores que tinham entre 55 e 67 anos, com mais de 20 anos de carreira na universidade. O desligamento antecipado foi incentivado com benefícios financeiros. 


A expectativa da universidade é gastar, no máximo, R$ 400 milhões com o plano. Como haverá gastos com os acertos para as demissões, o alívio na folha salarial deve aumentar significativamente apenas nos próximos anos. 

A medida foi criticada pelas entidades sindicais da universidade. Segundo eles, o plano de demissão voluntária contribui para o sucateamento da instituição. A USP está em crise financeira desde o final de 2013, por gastar cerca de 105% de suas receitas com os salários de docentes e servidores. 

Mais conteúdo sobre:
PDVUSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.