Acordo prevê carros e equipamentos da PM no câmpus da USP

Convênio com Secretaria da Segurança Pública reforça segurança da Cidade Universitária a partir deste mês

Estadão.edu

05 Agosto 2011 | 18h00

A USP aprovou nesta sexta-feira, 5, por meio de seu Conselho Gestor do Câmpus da Capital, o convênio que será assinado com a Secretaria de Segurança Pública do Estado para implementar medidas de segurança e policiamento na Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo.

O policiamento, segundo a USP, será "comunitário participativo". Uma das primeiras ações a serem desenvolvidas é o reforço de veículos e equipamentos no câmpus, para o início das atividades ainda em agosto. De acordo com a USP, o número de carros e o local onde vão ficar os novos equipamentos ainda estão sendo estudados.

Também fazem parte do plano de trabalho a capacitação profissional dos policiais militares que vão atuar no câmpus e a identificação dos pontos vulneráveis do local. A comunidade universitária também terá cursos e palestras, bem como serão criados canais de comunicação entre a comunidade e a Polícia Militar.

A USP também anunciou a criação do Fórum da Cidadania pela Cultura da Paz, que congregará diferentes segmentos da região da Cidade Universitária e entorno, além de representantes de movimentos e organizações sociais, com o objetivo de discutir, propor, avaliar e apoiar ações que previnam e reduzam a violência nesse território.

O fórum instituirá o Observatório de Segurança Cidadã, responsável pelo monitoramento e acompanhamento dos programas e ações.

A assinatura do convênio entre a USP e a Secretaria deve ser realizada na próxima semana. Na ocasião, também será assinado um convênio entre as duas instituições para o aprimoramento da formação e especialização dos integrantes da Polícia Militar e do desenvolvimento de pesquisas na área de segurança pública, que serão conduzidos, na USP, pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária e pelo Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.