ABL é contra tentativa de censurar livro de Monteiro Lobato

Academia posisionou-se nesta quinta-feira em relação a pedido do MEC de censurar obra

Talita Figueiredo, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2010 | 19h55

A Academia Brasileira de Letras (ABL) se posicionou, nesta quinta-feira, contrária à tentativa de censura ao livro “Caçadas de Pedrinho”, do escritor Monteiro Lobato, pedida pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) por suposto conteúdo racista. Segundo nota divulgada ontem, os acadêmicos apoiaram o ministro da Educação, Fernando Haddad, que rejeitou o vetodo CNE que havia determinado a proibição do livro em todo o País.

 

De acordo com os acadêmicos, que se reuniram em plenário ontem, “cabe aos professores orientar os alunos no desenvolvimento de uma leitura crítica. Um bom leitor sabe que tia Anastácia encarna a divindade criadora dentro do Sítio do Picapau Amarelo. Se há quem se refira a ela como ex-escrava e negra, é porque essa era a cor dela e essa era a realidade dos afro-descendentes no Brasil dessa época. Não é um insulto, é a triste constatação de uma vergonhosa realidade histórica”.

 

A ABL sugeriu ainda que em vez de proibir as crianças de saber disso, “seria muito melhor que os responsáveis pela educação estimulassem uma leitura crítica por parte dos alunos”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.